Segunda, 20 de agosto de 2018
(86) 99915-1055
Educação - Protesto

Postada em 09/07/2018 ás 09h15 - atualizada em 09/07/2018 ás 09h27

Publicada por: Redação

Sem previsão de acordo, greve dos professores do PI completa um mês
A categoria reinvidica reajuste salarial de 6,81% e de 3,15% para os demais servidores da educação.
Sem previsão de acordo, greve dos professores do PI completa um mês

Foto: Ascom

A greve dos professores da rede estadual completou um mês neste final de semana e, por enquanto, ainda não há previsão de quando o impasse envolvendo a categoria e o Governo do Estado chegará ao fim.

Em junho, o Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado do Piauí (Sinte-PI) ajuizou uma ação pedindo que a Justiça determine que o Governo cumpra o acordo salarial feito em março com a entidade, que previa reajuste de 6,81% para os professores e de 3,15% para os demais servidores da educação a partir de maio, passando a 3,95% em setembro.

Kassyus Lages, vice-presidente do Sinte-PI, lembra que o acordo entre o governo e a categoria foi intermediado pela Justiça, por meio do desembargador Joaquim Dias de Santana Filho.

A ação ajuizada pelo Sinte-PI seria apreciada pelo próprio desembargador Joaquim Santana. Porém, como o magistrado está de férias e só deve retornar ao trabalho no início de agosto, o Governo pediu que a matéria seja apreciada com urgência, o que fará com que o processo seja distribuído para outro desembargador.

Kassyus Lages diz que a categoria acredita num resultado positivo no julgamento da ação, e argumenta que o governador Wellington Dias (PT) não pode alegar que estará desrespeitando a legislação eleitoral caso conceda aos professores um reajuste acima da inflação, pois, segundo o sindicalista, o acordo foi formalizado ainda em março, ou seja, antes do dia 10 de abril, data a partir da qual passou a ser proibida a concessão de aumentos superiores à inflação, conforme estabelece a Resolução nº 22.252/2006, do Tribunal Superior Eleitoral.

Além desta greve, deflagrada no começo de junho, a categoria já havia parado por cerca de 30 dias entre fevereiro e março deste ano. Contabilizados os dois períodos, portanto, os estudantes já perderam dois meses de aula.

O Sinte-PI afirma que, independentemente da decisão judicial ser favorável ou não, a greve dos professores continuará até que o Governo pague o reajuste acertado na negociação de março.

"O governador teve 25 dias para cumprir o acordo judicial, e, no entanto, não cumpriu. O que ele fez foi vetar a lei que concedeu o reajuste inicial, acertado com as categorias. Por isso, a nossa luta continua e a greve segue forte", pondera a presidente Sinte-PI, Paulina Almeida.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

São João da Serra Por Cosme Jales

Pais são homenageados na Igreja O Brasil Para Cristo

Água Branca-PI Por Lenno Oliveira

Secretária de Educação de Água Branca participa de fórum em Recife

Floriano Por Ilizianny de Carvalho

Prefeito Joel visita obras do conjunto habitacional Alto da Cruz

Barra D'alcântara Por Cleiton Brito

Secretaria de Assistência Social Realizará nesta terça-feira a VI Conferência Municipal

Corrente-PI Por Aline Moura

No seu segundo ano de gestão o prefeito Murilo Mascarenhas tem aprovação popular de 73%

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
TV R10 Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium