Domingo, 24 de junho de 2018
(86) 99915-1055
Geral - Homícidio

Postada em 10/02/2018 ás 09h20 - atualizada em 10/02/2018 ás 09h45

Publicada por: Redação

Fonte: G1

Pastor é denunciado por matar e ocultar corpo de pastora
Pereira concluiu que Silva saiu da casa onde morava com a esposa decidido a matar Ailsa.
Pastor é denunciado por matar e ocultar corpo de pastora

Foto: TV Anhanguera/Reprodução

O pastor Alexandre de Souza e Silva, de 47 anos, foi denunciado, na sexta-feira (9), pela morte da pastora Ailsa Regina Gonzaga, de 40 anos, que sumiu após sair de casa para alugar um imóvel em Goiânia. O Ministério Público de Goiás o acusa de feminicídio e ocultação de cadáver. O suspeito, que já teve um relacionamento amoroso com a mulher, está preso e confessou ter matado a vítima durante uma discussão.

O promotor de Justiça Marcelo Franco de Assis Costa, que assina a denúncia, destacou no documento que as condições em que o assassinato foi cometido comprovam “o desprezo do denunciado pela condição do sexo feminino, inclusive a violência em contexto amoroso familiar”.

Ailsa foi vista pela última vez em 8 de novembro de 2017, quando saiu de casa para alugar um imóvel, em Goiânia. Na ocasião, ela deixou os dois filhos, de 15 e 11 anos, na residência e não voltou mais.

Quase dois meses depois, em 28 de dezembro, o pastor foi preso na casa em que morava, em Águas Claras (DF). Ele confessou o crime e revelou que havia deixado o corpo da vítima na zona rural de Aragoiânia, na Região Metropolitana de Goiânia.

Motivação

O delegado responsável pelo caso, Valdemir Pereira, titular da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), relatou no inquérito que o acusado e a vítima mantiveram um relacionamento amoroso por mais de um ano. Neste período, a convivência foi conturbada em razão de Alexandre ter outra mulher no Distrito Federal.

Pereira concluiu que Silva saiu da casa onde morava com a esposa decidido a matar Ailsa porque achava que ela poderia denunciá-lo à polícia por ele ser foragido da Justiça. O pastor já respondia por um latrocínio - que é o roubo com resultado morte - cometido em Itumbiara, região sul de Goiás.

"Ele disse para a atual mulher dele: ‘Vou lá me vingar, matar aquela pessoa [pastora]’. Quando voltou, ele disse: ‘Me vinguei’. Ele tinha ódio da pastora", explicou o delegado na época em que o pastor foi preso.

De acordo com a investigação, quando o acusado chegou à capital goiana, ele convenceu Ailsa a sair com ele para alugar um imóvel. No entanto, eles acabaram indo para o Recanto Cachoeirinha, na zona rural de Aragoiânia, onde a pastora foi esfaqueada. Em seguida, Silva ocultou o corpo de Ailsa na mata, cobrindo-o com folhas, e fugiu.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista R10

»

Altos-PI Por Jair Fran

Real Barça vence equipe do Triângulo e leva 2ª divisão do Campeonato Altoense de Futsal

Piripiri-PI Por Sebastião Silva Neto

Internet rápida e barata é com o Grupo Storm

São Gonçalo do Gurguéia Por Lucas Sena

"Pau de sebo" animou a noite de fogueira em São Gonçalo do Gurguéia

Amarante-PI Por Diogo Costa

Quadrilha Sarrupiá do Sertão dá Show no II Festival Junino em Amarante; veja

Colônia do Gurguéia-PI Por Geney Ribeiro

Escola Aliança do Gurgueia deu um show nas apresentações das quadrilhas juninas

Mais lidas da semana

»

© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
TV R10 Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium