Segunda, 19 de fevereiro de 2018
(86) 99915-1055
Corrupção eleitoral

Postada em 15/02/2018 ás 08h46 - atualizada em 15/02/2018 ás 09h19

Publicada por: Bruna Dias

Fonte: MPF-PI

Prefeito e vice de Dirceu Arcoverde são denunciados por compra de votos
A ação aguarda recebimento no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.
Prefeito e vice de Dirceu Arcoverde são denunciados por compra de votos

Foto: Reprodução

O Ministério Público Eleitoral (MPE) no Piauí ajuizou ação penal eleitoral contra o prefeito de Dirceu Arcoverde (PI), Carlos Gomes de Oliveira, e o vice-prefeito Marconis Ribeiro Galvão, por captação ilícita de votos. De acordo com a ação do procurador regional eleitoral no Piauí, Patrício Noé da Fonseca, inquérito policial constatou o oferecimento e a entrega de dinheiro a eleitores, durante o pleito eleitoral de 2016.

Segundo a ação eleitoral, no período próximo às eleições, o então candidato a vice-prefeito do município de Dirceu Arcoverde, Marconis Ribeiro Galvão, prometeu a um eleitor a entrega de três postes de madeira, 150 metros de fio, uma caixa para relógio, juntamente um sistema de chaveamento da rede elétrica, em troca de votos. A ação destaca que as circunstâncias ilícitas ocorreram sob o consentimento do então candidato a prefeito Carlos Gomes de Oliveira, que foi à residência de uma das testemunhas para confirmar a entrega das benfeitorias já prometidas. 

Um segundo eleitor relatou à Polícia Federal que recebeu, em sua residência, os candidatos e que eles ofereceram, em troca de votos, o fornecimento regular de energia elétrica tanto para a sua residência como para a de outros três vizinhos. Os candidatos ainda teriam oferecido a ele a quantia de R$ 340 para que votasse no candidato a vereador conhecido por “Rodolfinho”. O eleitor destacou que, inclusive, esse candidato acompanhava os denunciados na ocasião. De acordo com o inquérito, a quantia foi entregue pessoalmente, em uma outra ocasião, pelo investigado Marconis Ribeiro Galvão, por meio do pagamento de quatro cédulas de R$ 100.

Uma terceira testemunha disse à Polícia Federal que dias antes das eleições, compareceram, em sua residência, o então candidato a prefeito Carlos Gomes, acompanhado de dois indivíduos, denominados “João Bruno” e “Evaldo”. Na oportunidade, segundo o depoente, Carlos Gomes lhe ofereceu um “agrado”, em troca de seu voto, no valor de R$ 2000. A quantia foi entregue dias depois, na residência do depoente, também pelos ditos “João Bruno” e “Evaldo”.

Para o procurador regional eleitoral Patrício Noé, ao praticarem as condutas, os réus Carlos Gomes de Oliveira e Marconis Ribeiro Galvão incidiram na hipótese prevista no artigo 299 do Código Eleitoral (crime de corrupção eleitoral). A pena nesse tipo de crime pode chegar até 4 anos de reclusão e o pagamento de multa, que pode variar entre 5 e 15 dias-multa. 

A ação aguarda recebimento no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.

Outro lado

Procurado na manhã desta quinta-feira (15), o prefeito  Carlos Gomes de Oliveira não foi localizado para comentar a denúncia. O Portal R10 está aberto para esclarecimentos. 

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista R10

»

Amarante-PI Por Diogo Costa

Prefeito Diego Teixeira participa de inauguração de posto policial no Mimoso-MA

Floriano Por Ilizianny de Carvalho

Aplicada prova de seleção do Programa de Residência de Medicina de Família e Comunidade

Água Branca-PI Por Lenno Oliveira

Carnaval de Água Branca reúne 60 mil pessoas

Nazaré do Piauí Por Douglas Franco

Francisco Costa visita o município de Nazaré do Piauí

Lagoinha do Piauí Por Mysael Santana

Força Tática do 18º BPM captura três dos seis presos que fugiram do DP de Água Branca

Mais lidas da semana

»

© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
TV R10 Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium