Terça, 19 de junho de 2018
(86) 99915-1055
[email protected]
86 998026952
Geleia Total

Geleia Total

Geleia Total Na coluna da Geleia Total, você vai poder conhecer mais sobre a cultura e a arte do Piauí. Aqui no Piauí você encontra artistas das mais diversas áreas e estilos, produzindo arte autoral com muito empenho, amor e brilho no olhar. Arte que nos orgulha, transforma nossas vidas e nos embebecem de esperança por um futuro cada vez melhor. Além de uma cultura, culinária, pontos turísticos, movimentos culturais e história fascinantes. Vamos celebrar a arte e cultura do Piauí.

[email protected]

86 998026952

Cultura - Cultura Piauiense

Postada em 06/03/2018 ás 14h08 - atualizada em 06/03/2018 ás 14h33

Publicada por: Geleia Total

Fonte: www.geleiatotal.com.br

Esperança Garcia
Conheça a história de Esperança Garcia, uma mulher à frente de seu tempo
Esperança Garcia

Esperança Garcia por Valentina Fraiz (2015)

Esperança Garcia foi uma mulher escravizada que viveu no Piauí, acredita-se que ela nasceu em 1751, ela pertencia aos padres jesuítas, que ao serem expulsos do Brasil pelo Marquês de Pombal, foi entregue ao governo do Estado e levada à Fazenda de Algodões, na região de Oeiras, aproximadamente a 300km de Teresina, onde hoje fica localizado o município de Nazaré do Piauí. Ganhou o título de primeira advogada do Piauí concedido pela OAB-PI, devido a coragem e obstinação, denunciando os excessos e maus tratos cometidos pelo feitor da fazenda. A carta escrita pela escrava endereçada ao governador do Piauí, Gonçalo Lourenço Botelho de Castro, é considerada uma das cartas mais antigas do Brasil e desafiadora, escrita e assinada pela mão de uma escravizada no final do Século XVIII.

Carta com léxico atualizado

“Eu sou uma escrava de V.Sª. administração de Capitão Antonio Vieira de Couto, casada. Desde que o Capitão lá foi administrar, que me tirou da Fazenda dos Algodões, onde vivia com meu marido, para ser cozinheira de sua casa, onde nela passo tão mal. A primeira é que há grandes trovoadas de pancadas em um filho nem, sendo uma criança que lhe fez extrair sangue pela boca; em mim não posso explicar que sou um colchão de pancadas, tanto que caí uma vez do sobrado abaixo, peada, por misericórdia de Deus escapei. A segunda estou eu e mais minhas parceiras por confessar a três anos. E uma criança minha e duas mais por batizar. Pelo que peço a V.Sª. pelo amor de Deus e do seu valimento, ponha aos olhos em mim, ordenando ao Procurador que mande para a fazenda onde ele me tirou para eu viver com meu marido e batizar minha filha.

De V.Sª. sua escrava, Esperança Garcia”

Para saber mais sobre Esperança Garcia, acesse: https://geleiatotal.com.br/2017/11/26/esperanca-garcia/

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Revista R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
TV R10 Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium