Quarta, 19 de setembro de 2018
(86) 99915-1055
Política - Denúncia

Postada em 04/04/2018 ás 17h07 - atualizada em 04/04/2018 ás 17h13

Publicada por: Redação

Procuradora denuncia deputado do PT por ‘caixa 3’
A investigação sobre o deputado foi aberta em março do ano passado a partir da delação premiada.
Procuradora denuncia deputado do PT por ‘caixa 3’

Foto: Reprodução

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou nesta terça-feira (3) o deputado federal Vander Loubet (PT-MS) junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela prática de “caixa 3”, modalidade de doação eleitoral de campanha na qual a empresa doadora usa outras firmas para transferir os valores.

Na denúncia, Dodge pede a condenação do parlamentar pelo mesmo crime que tipifica o chamado “caixa 2”, que consiste em omitir da prestação de contas eleitoral o nome do doador de campanha. A pena para o crime, segundo o Código Eleitoral, é de até cinco anos de prisão e multa.

Segundo o G1, caberá agora à defesa do parlamentar apresentar uma resposta prévia à acusação dentro de 15 dias. Depois, a Segunda Turma do STF deverá decidir se aceita ou rejeita a denúncia; no primeiro caso, o deputado se torna réu num processo penal, só ao final do qual poderá ser condenado ou absolvido.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (4), o deputado Vander Loubet disse que os recursos recebidos por sua campanha "foram contabilizados como determina a legislação eleitoral" e que a prestação de contas foi aprovada pela Justiça Eleitoral. Ele disse, ainda, que as acusações "não procedem" e "são inverídicas", e que nunca recebeu recursos não contabilizados.

Investigações

A investigação sobre o deputado foi aberta em março do ano passado a partir da delação premiada de executivos da Odebrecht. Em depoimentos, eles disseram que destinaram R$ 50 mil para a campanha de Loubet em 2010 por meio das empresas Leyroz de Caxias Indústria e Logística e Praiamar Indústria e Comércio Distribuição.

Na delação premiada, o ex-executivo da Odebrecht Alexandrino Alencar, disse que Braskem, pertencente ao grupo, tinha interesses no Mato Grosso do Sul em projetos petroquímicos na fronteira com a Bolívia. Por isso, prometeu a Loubet R$ 50 mil, a serem pagos por meio do departamento de propina da empresa.

A Polícia Federal (PF) concluiu que Vander Loubet cometeu crime ao receber R$ 50 mil de "caixa 3" na eleição de 2010.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

São Gonçalo do Gurgueia Por Lucas Sena

UEEBS realiza palestra em alusão ao Setembro amarelo

São Pedro do Piauí Por Mário Paiva

Ruas de São Pedro do Piauí recebem asfalto

Valença Por Thiago Maciel

Dr. Pessoa ganha na capital com ampla vantagem, aponta Datamax

Beneditinos Por Cascatinha Pessoa

Equipe da Secretaria de Saúde de Beneditinos visitam município vizinho

Floriano Por Ilizianny de Carvalho

Secretaria de Assistência Social conclui curso de produção de salgados

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
TV R10 Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium