Quinta, 24 de Junho de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

24°

23° 33°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 municípios
R10 municípios Redação do Portal R10 / Equipe R10 Municípios
Cidades
19/06/2018 00h01
Por: Thainah Cortez

Advogado pretende requerer na justiça indenização para o ex-prefeito inocentado após júri popular

 O ex-prefeito José Arimateia Rabelo, mais conhecido por Zé Simão permaneceu três anos e três meses recluso sob tutela do sistema prisional do Piauí, antes de ser inocentado da acusação de assassinar a própria esposa com um tiro no ouvido por ciúmes. Uma informação da defesa do ex-réu, detalha a possibilidade de indenizá-lo por ter sofrido danos morais e materiais ao longo do processo.

"Eu sou advogado criminal, mas o que eu posso revelar sobre a situação dele [Zé Simão], que é fora da minha área, é que o meu escritório, com outro advogado que trabalha na área, vai entrar com uma ação de indenização. Não tenha dúvida! Ele passou três anos e três meses e os prejuízos foram grandes. O prejuízo maior foi o moral, em cima dele. Os danos morais e materiais são visíveis e o Estado não cumpriu o papel dele e prejudicou um inocente", afirmou Nazareno The.

Ministério Público vai recorrer

Além do exposto, o advogado ponderou sobre o Ministério Público do Piauí de recorrer da decisão do júri popular em outras instâncias do Judiciário brasileiro. Como ainda não foi notificado, Nazareno ressalta que não tem como se posicionar sobre tal hipótese, já que não tem acesso aos autos usados para o recurso. Mesmo assim, o que se enfatiza pela defesa é a inocência de Zé Simão.

"Até o momento, não há mais nada contra o meu cliente. Essa possibilidade de o Ministério Público recorrer é real, da mesma forma que ele também pode não recorrer. Eu só posso dizer alguma coisa após o promotor recorrer. Aguardo que o fato se complete, para eu poder me posicionar dentro dos próprios autos", declarou o advogado. O promotor Marcondes Oliveira confirmou que o MP vai recorrer da decisão, alegando que o resultado foi contrário às provas presente nos autos.

Fonte: Oito e meia | Edição: Portal R10 Oeiras
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp