Terça, 16 de outubro de 2018
(86) 99915-1055
[email protected]
86 99906-7459
Professor Sucupira

Professor Sucupira

Professor Sucupira Coluna do Professor Sucupira

[email protected]

86 99906-7459

Internacional - As Multinacionais

Postada em 23/06/2018 ás 22h33 - atualizada em 05/08/2018 ás 21h50

Publicada por: Professor Sucupira

A SELEÇÃO CAMPEÃ DA COPA DE 2018
A campeã
A SELEÇÃO CAMPEÃ DA COPA DE 2018

A seleção das multinacionais, não importando quais as seleções que chegarão a final, mesmo sem marcar um gol, mesmo sem vencer uma partida de futebol, ela será a seleção campeã da copa do mundo de futebol da Rússia de 2018. Uma “seleção” escalada assim pela comissão técnica” da Globalização: Goleiro: Adidas; Laterais: KIA e Visa; Zagueiros: Coca-Cola e Qatar Airways; Meio de campo: HYUNDAI, Wanda Group (大连万达), Vivo e McDonald's; Atacantes: ABInbev e Hinsense. Uma Seleção poderosa e imbatível.

Seu “esquema tático” é perfeito. Mesmo sem jogar uma partida, mesmo sem vestir uma camisa, mesmo sem pátria, esta seleção define até o país que sediará este evento global. A “comissão técnica” da globalização leva em consideração a dinâmica do mercado para promover a escolha e sair campeã de toda e qualquer copa do mundo de futebol. Na lógica do mercado, inseriram no contexto a África do Sul em 2010, o Brasil em 2014 e a Rússia agora em 2018, como sedes que juntamente com a Índia – que ainda não foi escolhida para sediar este evento – formam o BRICS. Economias emergentes de atração para capital produtivo que contribuíram com 14% do total do crescimento da economia global neste período de acordo com o criador do termo BRIC, Jim O'Neill, ex-economista do Goldman Sachs.

Nesta lógica de conquistar novos consumidores, em 2022, a copa do mundo de futebol de será no Qatar e será a primeira realizada no Oriente Médio – mercado a ser conquistado com o processo de aculturação no processo de consumo de bens, ideias e informação – pela comissão técnica da Globalização.  Coincidência? De forma alguma. A escolha do Oriente médio está tudo dentro do “esquema tático” de conquistas já definida. Acabou? Não ... A comissão técnica da globalização, marcou sem jogar uma partida o golaço da consolidação do projeto do multilateralismo.

O processo continua e com abrangência espacial cada vez maior quando escolheu – para realizar a primeira copa do mundo de futebol em um bloco econômico – o NAFTA. Bloco formado pelos Estados Unidos da América, Canadá e México. É mole! No mundo da globalização a realização de um evento como a copa do mundo de futebol, é mais um “esquema tático” infalível desta supercampeã seleção.

Pronto! Falei ...

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Revista ADV
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium