Sábado, 16 de Janeiro de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

27°

23° 36°

Teresina - PI

Últimas notícias
Polícia Decisão
12/07/2018 12h39 Atualizada há 3 anos
Por: Bruna Sampaio

Homem é condenado a 12 anos de prisão por estuprar a enteada

A vítima tem 13 anos de idade e foi abusada mediante ameaça de morte.

Prédio do Tribunal de Justiça de Teresina
Prédio do Tribunal de Justiça de Teresina

O juiz Whashington Luiz Gonçalves Correia, da  6ª Vara Criminal da Comarca de Teresina, condenou Ronaldo Jhonata Rodrigues dos Santos, a 12 anos de reclusão por estuprar a enteada de 13 anos de idade. A decisão é do dia 10 de julho. 

Segundo a setença, cerca de 15 dias antes do fato, a vítima, sua mãe e suas irmãs vinham sendo mantidas trancadas dentro de casa pelo acusado.  No dia do estupro, Ronaldo trancou a enteada dentro do quarto e manteve relação sexual com a menor e, ainda, a ameaçou, dizendo que se ela gritasse, cortava sua garganta.

A Polícia Militar foi acionada e, ao chegar na residência, adentrou no quarto e se deparou com o acusado despido com a vítima, ocasião em que ele foi preso em flagrante. O crime ocorreu em 28 de janeiro de 2018.

Em seu depoimento, a vítima relatou que "o acusado estava com raiva porque a mãe dela queria se separar dele e começou a beber; que ele e a mãe dela viveram juntos por dez anos; que ele tentou agarrá-la e ela conseguiu se soltar; que a mãe dela saiu para falar com o patrão e chamar a polícia; que ela ficou trancada no quarto; que o acusado a mandou comprar cachaça para ele; que quando o acusado bebia, quebrava as coisas em casa; que o acusado a levou para o quarto e ela tentou correr, mas ele a pegou, derrubou no chão, deu um murro nela e começou a puxar seu cabelo; que ele fez ela tirar sua roupa, apertou sua garganta e disse que se ela gritasse, iria matá-la; que ele a obrigou a manter relações sexuais com ela e praticou outros atos libidinosos".

O réu, em seu interrogatório, disse que estava altamente alcoolizado e não lembra o que aconteceu. Para a Justiça,  os argumentos do acusado não tem como se sustentar, diante do depoimento da vítima, da mãe e dos policiais que efetuaram a prisão, decidindo assim, condenar Ronaldo.

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®