Quarta, 17 de outubro de 2018
(86) 99915-1055
Teresina - Violência

Postada em 07/08/2018 ás 10h01 - atualizada em 07/08/2018 ás 10h33

Publicada por: Gustavo Miranda

Fonte: Uol

Marido chamava advogada morta por apelidos humilhantes, diz MP
Entre as situações mencionadas, estão a destruição de peça de roupa da qual ele não gostou.
Marido chamava advogada morta por apelidos humilhantes, diz MP

Foto: Reprodução/Facebook

Em denúncia oferecida nessa segunda-feira(6), pelo Ministério Público do Paraná pela morte de Tatiane Spitnezer, os promotores usaram casos de violência doméstica seguidos e graves contra a mulher relatados por testemunhas para pedir a manutenção da prisão preventiva do Luís Felipe Manvailer, marido da vítima.

Entre as situações mencionadas, estão a destruição de peça de roupa da qual ele não gostou e até ofensas e apelidos humilhantes, como"bosta albina".

Segundo o texto dos promotores, Manvailer, preso desde 22 de julho, "praticou todas as formas de violência familiar e doméstica contra Tatiane Spitzner". No documento, o MP alega violência psicológica ao citar que ele obrigava a mulher a fazer todos os serviços domésticos, não ajudava nas tarefas e a proibia de contratar uma diarista. 

Além disso, o homem também é acusado de violência patrimonial, por impedir que a vítima usasse o dinheiro que recebia do trabalho de forma livre, como para fazer compras. Em um episódio, ele chegou a rasgar roupas de Tatiane por não gostar delas.

No que foi classificado como violência moral, o inquérito policial apurou que, por diversas vezes, Manvailer insultava sua mulher e a chamava por apelidos humilhantes, como, por exemplo, "bosta albina", devido à sua cor de pele.

O acusado também não teria aceitado o divórcio e teria ficado dias sem conversar com a mulher; quando não, chegou a expressar sentir "ódio mortal" e "nojo" dela.

Por fim, ele também foi denunciado por violência física, com agressões graves e em série, gravadas pelas câmeras de segurança como "tapas, puxões de cabelo, empurrões, chutes, socos, golpes de artes marciais, que inclusive deixaram a vítima desacordada por aproximadamente dois minutos no dia do crime".

Segundo o Ministério Público, além destes comportamentos, também são indícios de que é necessária a manutenção da prisão de Luis Felipe Manvailer devido ao "comportamento extremamente agressivo e perigoso" que ele apresentou na execução dos crimes, pela "conduta intensamente violenta, cruel e brutal", por ter mexer "artificiosamente no local do crime" e por tentar fugir para o Paraguai.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

Cabeceiras do Piauí Por Francisco Rocha

Bandidos armados assaltam comércio na zona rural de Cabeceiras

Beneditinos Por Cascatinha Pessoa

Secretaria de Saúde realiza atendimento na U.B.S da Barrinha

Olho D'água do Piauí Por Jô Mendes

Serviço de fisioterapia passa a ser oferecido na UBS de Olho D'água

Lagoinha do Piauí Por Mysael Santana

Prefeitura de Lagoinha do Piauí realiza evento em alusão ao 'Outubro Rosa

Valença Por Thiago Maciel

Jogo do Poder destaca nome de Dr. Marcos Vinícius como candidato a Prefeito

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium