Sexta, 16 de novembro de 2018
(86) 99915-1055
Desk Propaganda
Brasil - Ação

Postada em 12/08/2018 ás 10h36 - atualizada em 12/08/2018 ás 11h10

Publicada por: Gustavo Miranda

STF vai decidir se crianças podem ser educadas em casa
Há três propostas que tramitam em conjunto para regulamentar a educação domiciliar.
STF vai decidir se crianças podem ser educadas em casa

Foto: Arquivo pessoal

Um julgamento marcado para o próximo dia 30 no Supremo Tribunal Federal (STF) está opondo pais de alunos e órgãos públicos. A controvérsia envolve a possibilidade de os pais tirarem os filhos da escola para ensiná-los em casa, prática chamada de educação domiciliar.

Na Corte, os ministros vão decidir se essa forma de ensino, conhecida internacionalmente como “homeschooling” e mais comum nos Estados Unidos, passa pelo crivo da Constituição.

No artigo 205, a Carta trata a educação como um “direito de todos e dever do Estado e da família”, a ser “promovida e incentivada com a colaboração da sociedade”.

O objetivo, segundo a Constituição, é o “pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

A ação no STF

A ação a ser julgada no STF surgiu em 2012, quando uma estudante de Canela (RS), à época com 11 anos, pediu ao juiz da cidade, com apoio dos pais, o direito de ser educada em casa.

O objetivo era derrubar decisão da Secretaria Municipal de Educação que orientava os pais a matricularem a menina, com compromisso de frequentar a escola.

Até 2011, ela havia estudado numa escola pública da cidade, mas queria cursar o ensino médio com ajuda dos pais em casa. Motivo: a escola juntava na mesma classe alunos de idades e séries diferentes.

Os colegas mais velhos, diziam os pais, tinham sexualidade avançada e falavam palavrões, o que, para eles, não refletia um critério ideal de convivência e socialização.

Propostas

A rigor, um julgamento no STF sobre a constitucionalidade do “homeschooling” não pode detalhar como o método pode ser aplicado, tarefa que caberia ao Congresso, na aprovação de lei. Há, porém, a possibilidade de a Corte estabelecer condições mínimas para a prática.

Na Câmara, há três propostas que tramitam em conjunto para regulamentar a educação domiciliar.

Um projeto permite que os pais ensinem os filhos em casa, mas os obriga a matriculá-los na escola para que sejam avaliados em exames periodicamente e tenham o aprendizado inspecionado no ambiente em que estudam.

As discussões se arrastam desde 2012, mas ainda não há previsão de aprovação final pela Casa nem de remessa do texto ao Senado para votação.

Professora da Faculdade de Educação na Unicamp e com doutorado no tema, Luciane Barbosa considera a regulamentação “absolutamente necessária”, mas um grande desafio.

Para ela, a desigualdade social e econômica do país faz com a escola seja a principal ou única forma de acesso à educação da maior parte da população.

Fonte: G1

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

Olho D'água do Piauí Por Jô Mendes

Campeonato olhodaguense de Futebol terá início neste fim de semana

Gilbués-PI Por Henrique Guerra

Rodoviária de Gilbués está abandonada pelo poder público

Pau D'arco Por Ântonia da Costa

Três mil fiéis percorreram 8 horas de caminhada até Pau D'Arco

Alto Longá Por R. Bezerra

Evento Gospel Nascimento de um Sonho reúne Multidão

Campo Maior Por Wellington Siqueira

Prefeito Professor Ribinha anuncia retomada do programa 'Mais Produção'

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium