Terça, 21 de Setembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

38°

24° 38°

Teresina - PI

Últimas notícias
OAB-PI
OAB-PI
Notícias sobre o que acontece na área da advocacia piauiense.
Geral Advogado
28/08/2018 10h12
Por: Bruna Sampaio

Sebastião Jr. destaca papel dos advogados na construção da democracia

Advogado há 20 anos, com atuação em Direito Empresarial e Tributário, Dr. Sebastião Jr., pré-candidato à presidência da OAB-PI, destacou, em entrevista ao Portal R10, o relevante papel da instituição na defesa da democracia e da cidadania.

Acrescentou, durante sua fala, sobre a luta em defesa das prerrogativas dos advogados: “O advogado é necessário e indispensável na administração da Justiça em pé de igualdade com magistrado, defensor, delegado, juiz, desembargador. Então, é algo constante. E a OAB tem que estar ao lado do advogado para se fazer isso, principalmente no aspecto cultural. A prerrogativa muitos confundem como um privilégio do advogado. Engane-se redondamente quem pensa assim. Ela é uma garantia da sociedade”.

Sebastião Jr. (Foto: R10)
Sebastião Jr. (Foto: R10)

Sebastião Jr. ressaltou também o papel da OAB na luta por espaços para advogados recém-formados. “Todos nós quando saímos da faculdade encontramos um mundo completamente diferente do mundo acadêmico para o mundo real. É um choque. É papel da Ordem, poder oportunizar dando e incentivando principalmente no aspecto da qualificação. Faculdade nenhuma nos coloca em pé de igualdade ao sair para o mercado para competir. É uma deficiência no nosso ensino jurídico e é aí onde entra o papel da OAB, em cobrar um ensino adequado, de se fazer de fato que aquele aluno tenha o retorno e preparo para estar no mercado de trabalho e ao sair da faculdade a OAB continuar assistindo no aspecto de qualificação profissional. A sociedade já admite que para analisar competência não é pela idade, nem por tempo de advocacia, mas sim por conhecimento e capacidade intelectual”.

Continua depois da publicidade

Enfatizou ainda, a importância de a atuação das mulheres ser fortalecida no mundo jurídico. “A mulher não só na advocacia, mas na sociedade, tem travado uma batalha no aspecto de reconhecimento, seja no aspecto de remuneração, seja no aspecto de oportunidade, seja no aspecto de quebrar alguns tabus em relação à capacidade laboral da mulher para enfrentar determinadas batalhas e isso de uma maneira geral no nosso país. Na advocacia temos vários exemplos de advogadas competentes, que trabalham de maneira muito adversa porque tem que cuidar da família, do sustento do próprio lar e mesmo assim consegue competir a nível superior dos homens”.

Sobre a reestruturação da Justiça, o advogado frisou: “A Justiça é administrada pelos órgãos competentes da própria Justiça. Porém, é papel da OAB, enquanto representante de um advogado e da sociedade, colaborar na administração [da Justiça], conversando, apresentando sugestões, sem nunca perder o respeito”.

Advogado há 20 anos, com atuação em Direito Empresarial e Tributário, Dr. Sebastião Jr., pré-candidato à presidência da OAB-PI, destacou, em entrevista ao Portal R10, o relevante papel da instituição na luta pela democracia e cidadania.

Acrescentou durante sua fala, sobre a luta em defesa das prerrogativas dos advogados: “O advogado é necessário e indispensável na administração da Justiça em pé de igualdade com magistrado, defensor, delegado, juiz, desembargador. Então, é algo constante. E a OAB tem que estar ao lado do advogado para se fazer isso, principalmente no aspecto cultural. A prerrogativa muitos confundem como um privilégio do advogado. Engane-se redondamente quem pensa assim. Ela é uma garantia da sociedade”.

Sebastião Jr. ressaltou também o papel da OAB na luta por espaços para advogados recém-formados. “Todos nós quando saímos da faculdade encontramos um mundo completamente diferente do mundo acadêmico para o mundo real. É um choque. É papel da Ordem, poder oportunizar dando e incentivando principalmente no aspecto da qualificação. Faculdade nenhuma nos coloca em pé de igualdade ao sair para o mercado para competir. É uma deficiência no nosso ensino jurídico e é aí onde entra o papel da OAB, em cobrar um ensino adequado, de se fazer de fato que aquele aluno tenha o retorno e preparo para estar no mercado de trabalho e ao sair da faculdade a OAB continuar assistindo no aspecto de qualificação profissional. A sociedade já admite que para analisar competência não é pela idade, nem por tempo de advocacia, mas sim por conhecimento e capacidade intelectual”.

Continua depois da publicidade

Enfatizou ainda, a importância de a atuação das mulheres ser fortalecida no mundo jurídico. “A mulher não só na advocacia, mas na sociedade, tem travado uma batalha no aspecto de reconhecimento, seja no aspecto de remuneração, seja no aspecto de oportunidade, seja no aspecto de quebrar alguns tabus em relação à capacidade laboral da mulher para enfrentar determinadas batalhas e isso de uma maneira geral no nosso país. Na advocacia temos vários exemplos de advogadas competentes, que trabalham de maneira muito adversa porque tem que cuidar da família, do sustento do próprio lar e mesmo assim consegue competir a nível superior dos homens”.

Sobre a reestruturação da Justiça, o advogado frisou: “A Justiça é administrada pelos órgãos competentes da própria Justiça. Porém, é papel da OAB, enquanto representante de um advogado e da sociedade, colaborar na administração [da Justiça], conversando, apresentando sugestões, sem nunca perder o respeito”.

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp