Quinta, 19 de Maio de 2022
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

27°

24° 31°

Teresina - PI

Últimas notícias
Piauí Improbidade
19/10/2018 10h05 Atualizada há 4 anos
Por: Bruna Dias

Ex-secretário de Educação de Miguel Alves é denunciado ao TCE

O ex-secretário de Educação do município de Miguel Alves, Ely Sandro Vaz e Silva, foi denunciado ao Tribunal de Contas do Estado, por irregularidades na administração municipal, como malversação de dinheiro público, em especial, de recursos do Fundo de Manutenção da Educação Básica (FUNDEB), improbidade administrativa, nepotismo, dentre outros ilícitos.

Segundo a representação do Ministério Público de Contas, Ely Sandro acumulou ilegalmente cargos, empregos e/ou funções públicas de professor municipal, professor estadual e vereador de Miguel Alves. A denúncia diz que, para tentar "desconfigurar" o acúmulo ilegal, o denunciado sempre recorre a licenças sem vencimento de forma mascarada.

Ely Santos (Foto: Reprodução)
Ely Santos (Foto: Reprodução)

O denunciante ressaltou, que quando em exercício da função de Secretário Municipal de Educação, de 2017 até o mês de julho de 2018, Ely Sandro Vaz e Silva manteve (e mantém) sob sua chefia imediata, sua esposa Ana Lúcia de Oliveira Carvalho, professora efetiva do município; sua irmã, Elizany Vaz e Silva, professora efetiva do município; sua cunhada, Vanuzia de Oliveira Carvalho, professora efetiva do município e seu cunhado, Manoel Francisco Cruz de Melo, professor efetivo do município.

Salientou que Eliziany, irmã do ex-secretário, “é professora efetiva de Miguel Alves, concursada para a carga horária de 20h/a; contudo, a fim de favorecê-la, o Sr. Ex-secretário municipal "promoveu" sua irmã para a carga horária de 40h/a com o único intuito de dobrar seus proventos, sem realização de concurso público e/ou quaisquer atos legais disciplinados em lei."

Destacou também que Eliane “acumula ilegalmente os cargos e/ou funções de Professora efetiva da rede pública municipal, Subsecretária Municipal de Educação e mantém um contrato como Professora substituta junto à Secretaria Estadual do Piauí (SEDUC), com lotação precária na Unidade Escolar José Fontenele, na Localidade Tamanduá - Zona Rural de Miguel Alves".

Diante do exposto, o MPC pede que o prefeito Miguel Borges Oliveira Júnior e o ex-secretário Ely Sandro Vaz e Silva sejam responsabilizados por seus atos gestão ilegais, ilegítimos e danos ao erário

Outro lado

O Portal R10 não conseguiu contato com o prefeito e o ex-gestor. Estamos abertos para esclarecimentos.

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp