Segunda, 10 de dezembro de 2018
(86) 99915-1055
Desk Propaganda
Entretenimento - Papuda

Postada em 27/11/2018 ás 16h26 - atualizada em 27/11/2018 ás 16h28

Publicada por: Bruna Dias

Presos fazem greve de fome e ameaçam rebelião após fechamento de cantinas
O fato ocorre na Papuda-DF.
Presos fazem greve de fome e ameaçam rebelião após fechamento de cantinas

Foto: Gláucio Dettmar/CNJ

Um grupo de presos do Complexo Penitenciário da Papuda está em greve de fome desde quarta-feira (21/11). Os detentos protestam contra o fechamento das cantinas nas unidades prisionais da capital da República e ameaçam iniciar uma rebelião.

As lojinhas vendiam itens de higiene, cigarros e alimentação. Uma das principais reclamações dos apenados é em relação à comida entregue por empresas terceirizadas. A marmita é considerada de má qualidade, situação agravada pela restrição de produtos levados por familiares em dias de visitação.

A presidente da Associação de Familiares de Internos e Internas do Sistema Penitenciário do Distrito Federal e Entorno (Afisp-DFE), Alessandra Paes, pontua que os direitos são mínimos e, quando retirados, a reação não é boa. “O único meio que tinham para se alimentar bem era por meio das cantinas. Com o fechamento, a situação piorou muito”, reclama.

Um detento da Papuda escreveu uma carta e a endereçou a autoridades por meio de familiares. No texto, ele reclama da situação do sistema e salienta que os presídios brasileiros se tornaram “verdadeiros depósitos de seres humanos, sem nenhuma condição de ressocialização”.

O preso ainda reforça o coro dos insatisfeitos com o término das vendas nas lojinhas. “Para terminar literalmente com a vida do apenado, vem a questão da alimentação, que não se permite vir pelas visitas, tampouco vender nas cantinas que mandaram fechar”, diz. A mensagem foi entregue ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pela Afisp-DFE.

Outro lado

A Sesipe argumentou que a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, por meio da Subsecretaria de Administração Geral (Suag), realizou licitações para a compra dos itens antes comercializados nas unidades prisionais, além de autorizar que familiares e amigos levem tais produtos para os apenados. “Com isso, a Sesipe promove a entrega de 27 itens, desde material de limpeza a material de higiene pessoal, como sabonete e creme dental, por exemplo”, completa.

A pasta ressaltou, ainda, que as cantinas ficarão abertas nos dias de visitação — que ocorrem de 15 em 15 ou 21 em 21 dias — até que nova condição seja estabelecida, “considerando a necessidade de garantir aos visitantes, familiares e amigos das pessoas privadas de liberdade que possam se alimentar durante as visitas”

Fonte: Metrópoles

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

São João do Arraial-PI Por Leônidas Silva

Deputado Limma comenta sobre audiência pública e os problemas da Cepisa

Joaquim Pires-PI Por João Victor

Prefeitura de Joaquim Pires realizará festa de emancipação política

Demerval Lobão - PI Por Katia Cruz

Prefeito Junior Carvalho entrega estádio para população de Demerval Lobão

Lagoinha do Piauí Por Mysael Santana

Prefeito de Lagoinha participa da primeira 'Pega de Gado' em Agricolândia

Campo Maior Por Wellington Siqueira

Educação de Campo Maior recebe caminhonete do Prefeito Professor Ribinha

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium