Sábado, 17 de agosto de 2019
(86) 99915-1055
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Polícia - Operação

Postada em 13/12/2018 ás 08h53 - atualizada em 13/12/2018 ás 09h15

Publicada por: Gustavo Miranda

PF mira desvio de R$ 13 milhões no Ministério do Trabalho
Os agentes recolhem material na sede do ministério, em Brasília.
PF mira desvio de R$ 13 milhões no Ministério do Trabalho

Foto: Sergio Moraes / Reuters / Imagem de arquivo

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (13) a quinta fase da Operação Registro Espúrio, que apura suposto esquema de desvio de recursos no Ministério do Trabalho.

Na nova etapa, os policiais cumprem 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, Goiânia, Anápolis e Londrina.

Os agentes recolhem material na sede do ministério, em Brasília. Um dos alvos da operação é a advogada Julianna Machado Arantes Moretto, sobrinha do deputado Jovair Arantes (PTB-GO) e irmã do ex-secretário da pasta Leonardo Arantes. Os dois já são investigados na Registro Espúrio.

Investiga-de o desvio de valores da Conta Especial Emprego e Salário (CEES) para sindicatos e federações, por meio de pedidos fraudulentos de restituição de contribuição sindical. 

O consultor jurídico do ministério, Ricardo Santos Silva Leite, suspeito de envolvimento nos crimes em apuração, foi afastado do cargo pelo Supremo.

Outro alvo das buscas é o ex-superintendente da pasta no Distrito Federal Maurício Moreira da Costa Júnior.

Outros investigados são advogados, servidores públicos e pessoas ligadas ao Sindicato dos Trabalhadores na Indústria e Distribuição de Cerveja, Sucos e Bebidas no Estado de Goiás (Sindibebidas-GO).

Segundo a PF, após análise e cruzamento de dados, constatou-se que a "organização criminosa desviou pelo menos R$ 12,9 milhões da conta".

O inquérito sobre o caso diz que o grupo investigado arregimentava entidades interessadas na obtenção fraudulenta de restituições de contribuição sindical supostamente recolhidas indevidamente ou a maior na conta.

Os pedidos, então, seriam manipulados, com o reconhecimento indevido do direito ao crédito.

Os valores, sustenta a PF, eram transferidos da para a conta da entidade interessada, com posterior repasse de um percentual para os servidores públicos e advogados integrantes do esquema.

Os crimes sob investigação são de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e falsificação de documento público.

Em outras fases, a Registro Espúrio mirou o envolvimento de políticos ligados ao PTB e ao Solidariedade em corrupção no ministério.

A reportagem ainda não conseguiu contato com os investigados ou seus representantes.

Fonte: Folha de S.Paulo

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

São Gonçalo do Piauí Por Francisco Rockentura

Festejo de São Gonçalo do Piauí terá Cleber e Cauan no dia 12 de setembro

Picos Por Jucelma Sales

Lua Moura, atriz Picoense conta como está superando a depressão

Colônia do Gurgueia Por Geney Ribeiro

Encerramento do curso de quadros e comandos em Colônia do Gurgueia

São Francisco do Piauí Por Abdoral Pimentel

Incêndio de grandes proporções em São Francisco do Piauí

Cabeceiras do Piauí Por Francisco Rocha

Caminhão capota na PI-114 entre Cabeceiras e Campo Maior

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium