Terça, 16 de julho de 2019
(86) 99915-1055
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Piauí - Nota

Postada em 31/12/2018 ás 09h07 - atualizada em 31/12/2018 ás 11h07

Publicada por: Bruna Sampaio

Agespisa contesta rescisão de contrato com prefeitura do PI
A empresa destacou que a quebra de contrato é ilegal e abusiva.
Agespisa contesta rescisão de contrato com prefeitura do PI

Foto: Reprodução/Jornal da Parnaíba

A AGESPISA esclareceu por meio de nota, que a decisão da Prefeitura Municipal de Parnaíba em rescindir o Contrato de Programa que mantém com a empresa, por meio de decreto municipal datado do último dia 29, é ilegal e abusiva.

"O Contrato de Programa, firmado entre a empresa Águas e Esgotos do Piauí e Prefeitura, foi celebrado conforme Lei Municipal nº 2.661/11 e "apresenta-se tecnicamente válido no grau de ato jurídico perfeito", segundo decisão do juiz dr. Carlos Eugênio Macedo de Santiago, em decisão de 11 de setembro de 2017", diz a nota da empresa. 

A distribuidora disse ainda que "essa não foi a primeira iniciativa da Prefeitura de Parnaíba em retomar os serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, administrados pela Agespisa. Desde que assumiu, a gestão atual, vem, a todo custo, tentando retirar o serviço do governo do Estado. No final de 2017, a prefeitura encaminhou diversos ofícios, para a Agespisa, solicitando a apresentação, com urgência, de documentos variados, cuja solicitação foi prontamente atendida".

A empresa destacou que "tem cumprido com sua missão e com as obrigações estabelecidas no contrato, e a forma como a prefeitura vem conduzindo o assunto prova que há um interesse particular em tomar o serviço da concessionária, que não pode ser admitido, especialmente, em razão da complexidade do serviço e do sistema de abastecimento do município, que atende a uma região e não somente Parnaiba, e, sobretudo, pelo risco relacionado a perda dos investimentos contratados e repassados por meio dos financiamentos feitos pelo Governo do Estado do Piauí. Os investimentos foram e estão sendo aplicados na ampliação e melhorias do sistema de tratamento e distribuição de água e do sistema de esgotamento sanitário, mais especificamente, nos serviços de coleta, transporte e tratamento de esgotos".

A Agespisa esclarece ainda que o sistema de abastecimento de água de Parnaíba está interligado aos municípios de Luis Correia, Cajueiro da Praia e Ilha Grande que não possuem qualquer vínculo contratual com o município de Parnaíba. "Como ficará, então, a situação dos consumidores dessas referidas cidades? E os consumidores da cidade de Parnaiba?", questiona a distribuidora. 

"Cabe, ainda, frisar que o ato da prefeitura é ilegal, também, porque a Agência Reguladora com autorização legal e contratual para regular os serviços de saneamento no município é a AGRESPI. A diretoria da Agespisa já está tomando todas as providências cabíveis para recorrer dessa decisão a fim de assegurar a manutenção e regularidade dos serviços que são essenciais à população", finalizou.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Floriano Por Ilizianny de Carvalho

Divulgado resultado preliminar da prova de títulos do Concurso Público

Beneditinos Por Cascatinha Pessoa

Paróquia de São Benedito encerra 2ª etapa das missões

Blog do Lucão (Timon e Região dos Cocais) Por Lucas Stefano

'Rosinha do Pó' é presa pela SENARC-MA

São Gonçalo do Gurgueia Por Lucas Sena

Carreta carregada com algodão tomba e interdita BR-135 em S.G do Gurgueia

Francinópolis Por Odair Morais

Prefeito de Francinópolis representa APPM na Operação João de Barro

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium