Domingo, 26 de maio de 2019
(86) 99915-1055
redacao@portalr10.com
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
milton.atanazio@gmail.com
(61) 98191-9906
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília

FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília

Jornalista Milton Atanazio Jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS.

milton.atanazio@gmail.com

(61) 98191-9906

Política - CONTRA RENAN

Postada em 01/02/2019 ás 05h24

Publicada por: Jornalista Milton Atanazio

Postulantes à presidência do Senado vão atuar em conjunto
A estratégia foi acertada em reunião no gabinete da nova senadora Soraya Thronick (PSL-MS
Postulantes à presidência do Senado vão atuar em conjunto

Candidato à presidência do Senado, Renan Calheiros

Postulantes à presidência do Senado vão atuar em conjunto

Oito senadores que se apresentam como candidatos alternativos ao emedebista Renan Calheiros (AL) na disputa pela presidência do Senado decidiram atuar em conjunto para forçar que as decisões das reuniões preparatórias sejam tomadas em votos abertos e sem exigência de intervalo mínimo.

A estratégia foi acertada em reunião no gabinete da nova senadora Soraya Thronick (PSL-MS). Estavam presentes os senadores José Reguffe (sem partido-DF), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Alvaro Dias (Pode-PR), Simone Tebet (MDB-MS), Esperidião Amin (PP-SC), Major Olímpio (PSL-SP) e Angelo Coronel (PSD-BA).

“A eleição, com essa quantidade de candidatos, vai ter segundo turno”, afirmou Reguffe, após a reunião. Segundo ele, há inclusive a possibilidade de a eleição não se encerrar nesta sexta-feira. “É imprevisível o que vai acontecer.”

De acordo com o senador, a primeira questão de ordem pela votação aberta será feita ainda quando Alcolumbre estiver presidindo a sessão. O senador abrirá os trabalhos, porque é o único remanescente da atual Mesa Diretora do Senado.

Amin nega que a manutenção das candidaturas seja uma tática para derrotar Calheiros. “Eu não acho que é uma estratégia. É um mal decorrente de um mal maior: a fragmentação partidária”, argumentou.

Coronel também avalia que os senadores não se mobilizam contra Calheiros. “É um movimento de renovação do Senado, não é contra uma candidatura. É um movimento de mudança”, afirmou.

Fonte: EBC

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium