Segunda, 06 de Dezembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

34°

25° 36°

Teresina - PI

Últimas notícias
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília
Jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS.
Brasil TELEMEDICINA
07/02/2019 09h57 Atualizada há 3 anos
Por: Jornalista Milton Atanazio

O que é telemedicina? As novas regras para esse campo no Brasil

O Conselho Federal de Medicina (CFM) abriu prazo de 60 dias para receber contribuições relativas à Resolução nº 2.227/2018, que atualiza critérios para a prática da telemedicina no Brasil. Podem participar do processo conselhos regionais de medicina (CRMs) e demais entidades médicas.

A diretoria do CFM se reuniu ontem (6), em Brasília, com os presidentes dos 27 conselhos regionais (CRMs). Durante o encontro, foram discutidos pontos relativos à publicação da resolução, que tem previsão de entrada em vigor em maio.

MÉDICO TIRA FOTO DE GAROTO ANTES DE UMA CIRURGIA EM HANÓI
MÉDICO TIRA FOTO DE GAROTO ANTES DE UMA CIRURGIA EM HANÓI

“O CFM concordou em receber dos CRMs, das entidades médicas e da categoria propostas para o aperfeiçoamento da norma. Elas serão analisadas e poderão ser implementadas, após deliberação do plenário do Conselho Federal de Medicina”, informou a entidade.

O detalhamento de como a consulta pública será conduzida será disponibilizado no site do CFM ainda esta semana.

Resolução

A Resolução nº 2.227/2018 autoriza a realização de consultas online, telecirurgias e telediagnóstico, entre outras formas de atendimento à distância. O texto estabelece a telemedicina como exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde, podendo ser realizada em tempo real ou offline.

Para o CFM, as possibilidades que se abrem com a mudança normativa são “substanciais”, mas precisam ser utilizadas por médicos, pacientes e gestores “com obediência plena” às recomendações. No âmbito da saúde pública, o órgão considera a inovação “revolucionária” ao permitir a construção de linhas de cuidado remoto, por meio de plataformas digitais.

Polêmica

Ontem (6), o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul e a Associação Médica do Rio Grande do Sul publicaram nota conjunta esclarecendo que não participaram do processo de elaboração da resolução.

“Além disso, reiteram que têm inúmeras críticas e sugestões para a melhor incorporação dessa tecnologia à boa prática médica e para a saúde da população”, destacou o comunicado.

O que é telemedicina. E as novas regras para esse campo no Brasil

Até o momento, ela vem sendo utilizada principalmente como forma de obter uma segunda opinião, enviando imagens de uma lesão de pele por WhatsApp, por exemplo.

No dia 3 de fevereiro de 2019, o Conselho Federal de Medicina divulgou em seu site o teor de uma resolução por meio da qual pretende regulamentar a telemedicina no Brasil.

O termo se refere a formas de atendimento médico a distância viabilizada pela tecnologia. Por exemplo: teletriagens, consultas online, telediagnósticos, telemonitoramento e mesmo telecirurgias, realizadas com auxílio de robôs.

Até o momento, a telemedicina vem sendo realizada por médicos no Brasil principalmente como forma de obter uma segunda opinião -ou seja, o médico principal não poderia ser aquele que realiza o atendimento a distância. Muitas vezes, isso se dá de formas muito simples, com o envio de fotos pelo celular para que colegas avaliem uma lesão de pele, por exemplo.

Alguns hospitais universitários também vinham adotando a prática experimentalmente. A resolução deve ser publicada no Diário Oficial ainda nesta semana, afirma a entidade, que é uma autarquia que concentra a atribuição de regular a prática médica no Brasil.

Em uma nota publicada no portal da entidade, seu presidente, Carlos Vital, afirma que a resolução pode contribuir para levar serviços de saúde ao interior do país, e diminuir o “estrangulamento” no sistema convencional em grandes centros.

Na quinta-feira (7), a instituição realiza seu Segundo Fórum de Telemedicina, onde a nova resolução será lançada.

Saiba mais e Link para matéria:

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/05/O-que-%C3%A9-telemedicina.-E-as-novas-regras-para-esse-campo-no-Brasil

Assuntos: telemedicina, CFM, CRM

Fonte: EBC E NEXOJORNAL
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp