Quinta, 13 de Maio de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

25°

22° 33°

Teresina - PI

Últimas notícias
Geral Trágedia
29/09/2017 12h29 Atualizada há 4 anos
Por: Bruna Sampaio

Criança se fingiu de morta para não ser assassinada pelo padrasto

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A criança de sete anos que presenciou a mãe ser morta pelo padrasto, no bairro Sapiranga, em Fortaleza, sofreu tentativa de homicídio por parte do adulto. O menino se fingiu de morto para sobreviver até ser localizado pela Polícia, na casa, no último dia 20. O homem se matou.

O padastro, de 31 anos, tentou matar primeiro o enteado por meio de asfixia e a criança desmaiou. Pensando que o menino estava morto, o homem matou a companheira, de 36 anos, que estava grávida.

No dia em que a sucessão de crimes foi descoberta ainda não havia sido explicada a dinâmica do caso. No entanto, uma fonte deu detalhes sobre o caso, ontem, ao O POVO.

Continua depois da publicidade

Uma semana antes do crime houve uma discussão na residência pois o homem vendera itens da casa. Vizinhos também relataram que, desde o aluguel da casa, era frequente ouvir as brigas do casal.

O menino está sob cuidados de familiares, com o acompanhamento do Conselho Tutelar.

O caso

No dia 17, a mãe da criança foi morta na residência. O menino tinha sofrido tentativa de homicídio e permaneceu no local, fingindo-se de morto, durante três dias, até que o padastro, autor do assassinato da mulher, cometeu suicídio. O cheiro dos corpos e o choro da criança chamaram a atenção da vizinhança, que acionou a Polícia Militar. Ele foi encontrado acuado, sujo, com fome e marcas de agressão.

Funcionário da imobiliária responsável pela casa, João Vega foi informado por familiares que o homem era dependente de drogas e já havia sido internado algumas vezes.

Fonte: O Povo
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp