Sábado, 23 de março de 2019
(86) 99915-1055
Política - Investigações

Postada em 12/03/2019 ás 09h49 - atualizada em 12/03/2019 ás 14h22

Publicada por: Bruna Dias

PF diz que omissão em delação beneficiou Ciro Nogueira
Segundo a polícia, R$ 6 milhões foram destinados a um grupo de parlamentares.
PF diz que omissão em delação beneficiou Ciro Nogueira

Foto: Reprodução/Facebook

A Polícia Federal afirmou que um ex-executivo da Odebrecht ocultou informações na delação premiada e beneficiou o senador Ciro Nogueira, do Progressistas. O relatório é sobre a investigação de pagamentos de propina relatados na delação de ex-executivos da Odebrecht.

No documento, a Polícia Federal afirmou que os repasses destinados ao presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, foram feitos com a ajuda da Transnacional. A empresa de transporte de valores era usada por doleiros que prestavam serviços a empresas envolvidas na Lava Jato, entre elas a Odebrecht.

No documento, enviado ao ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, a PF detalha os pagamentos ao senador para que ele atuasse para aprovar projetos de interesse da Odebrecht no Senado e registra o endereço de entrega que consta dos sistemas dos doleiros e da transportadora.

O delegado Albert Servio de Moura diz que no imóvel residia no ano de 2014 o filho de Lourival Ferreira Nery Júnior, assessor de Ciro Nogueira, cujo nome também figura nas sucessivas planilhas da Odebrecht.A PF diz que R$ 6 milhões foram destinados a um grupo de parlamentares. Mas o delator Cláudio Melo decidiu repassar o valor somente a Ciro, identificado nas planilhas com o codinome Piqui.

“Cláudio Melo Filho decidiu que o dinheiro seria destinado integralmente ao parlamentar e amigo Ciro Nogueira. Tal fato - a destinação de valores a Ciro Nogueira à revelia de Marcelo Odebrecht - explica a absoluta omissão de Cláudio Melo Filho no que se refere aos 12 pagamentos do programa Piqui”.

A Polícia Federal pediu uma acareação entre Cláudio Melo Filho, Marcelo Odebrecht e Carlos Fadigas, também delatores da Odebrecht e envolvidos na liberação desses R$ 6 milhões. A ideia é colocá-los frente a frente para saber sobre os pagamentos a Ciro Nogueira e a suspeita de omissão do delator. A decisão será do ministro Fachin.

Ciro Nogueira é investigado em outros quatro inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Em um deles, a denúncia já foi apresentada e aguarda decisão do tribunal.

Outro lado

A assessoria de Ciro Nogueira afirmou que ele confia na apuração da Justiça e que acredita que as investigações irão, mais uma vez, comprovar a inocência dele.

A defesa de Carlos Fadigas disse que não irá se manifestar.

Os outros citados não foram localizados. 

Fonte: G1/Jornal Nacional

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

São João do Arraial-PI Por Leônidas Silva

Chuva danifica açudes e causa prejuízos a famílias em São João do Arraial

Blog do Lucão (Timon e Região dos Cocais) Por Lucas Stefano

Denarc/Timon prende em flagrante indivíduo acusado da tráfico de 'Crack'

Campo Maior Por Wellington Siqueira

Blitz em Campo Maior são intensificadas para coibir a ação de criminosos

Picos Por Jucelma Sales

Alunos participam de caminhada em comemoração ao Dia Mundial da Água

Pau D'arco Por Carlos Eugênio

Alunos de Pau D'arco participam de atividades pelo Dia Mundial da Água

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium