Sábado, 19 de outubro de 2019
(86) 98111-9939
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Made Propagnda
Política - MPF

Postada em 20/03/2019 ás 15h08

Publicada por: Gustavo Miranda

Justiça determinou prisão preventiva de doleiros ligados a Cabral
Operação tem como alvos os doleiros Sergio Reina e Nissim Chreim.
Justiça determinou prisão preventiva de doleiros ligados a Cabral

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

A pedido da Força-Tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, a Justiça Federal determinou a prisão preventiva dos doleiros Sergio Guaraciaba Martins Reinas e Nissim Chreim, da esposa de Nissim, Thania Nazli Battat Chreim, e a prisão temporária de seu filho Jonathan Chahound Chreim. Os quatro são investigados por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e por participação na organização criminosa liderada pelo ex-governador do Rio, Sérgio Cabral.

Além das prisões, a Polícia Federal cumpre também mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos investigados em São Paulo. A operação dessa quarta-feira (20) é uma extensão da operação Câmbio Desligo, que, em maio de 2018, desarticulou uma rede de lavagem de capital internacional, que envolvia 45 doleiros no Brasil e no exterior.

De acordo com as investigações do MPF, o doleiro Sergio Reina teria realizado operações envolvendo um total de R$ 37 milhões, entre os anos de 2011 e 2014, utilizando os sistemas “Bankdrop” e “ST”, desenvolvidos para realizar e controlar as operações financeiras ilegais e revelados na operação Câmbio Desligo. Ele também responde a uma ação de improbidade administrativa e a um procedimento instaurado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em razão de irregularidades em operações envolvendo os Fundos Prece, uma entidade fechada da previdência complementar criada pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

O doleiro Nissim Chreim realizou operações que totalizaram U$ 22 milhões de dólares, entre 2011 e 2016. Nissim era sócio e tio de Chaya Mughrabi, também investigado na Operação Câmbio Desligo e que permanece foragido. As operações de Nissim consistiam na compra de dólares no exterior, por meio de contas na Suíça em nome de offshores, com o devido depósito em reais em contas no Bradesco, ou entrega de cheques ou de dinheiro em espécie nas salas utilizadas pelos doleiros colaboradores em São Paulo.

Segundo a investigação da Força-Tarefa, a esposa de Nissim, Thania Chreim, é responsável pelas offshores utilizadas pelo doleiro no esquema. Já seu filho, Jonathan Chreim, mantém os negócios do pai ativos, após a saída de Nissim do Brasil em dezembro de 2017.

Documentos comprobatórios apresentados pelo MPF à Justiça trazem indícios de que tanto Sergio Reinas quanto Nissim, com o auxílio de sua esposa Thania, operavam o esquema organizado pelos doleiros e colaboradores, conhecidos como Juca Bala e como Tony, movimentando numerário em espécie proveniente da organização criminosa e auxiliando na lavagem do dinheiro.

Fonte: MPF

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Blog do Lucão (Timon e Região dos Cocais) Por Lucas Stefano

Deputado Rafael Leitoa prestigia posse da nova diretoria da STTR/Timon

Beneditinos Por Cascatinha Pessoa

Em bonita festa Prefeito Jullyvan se filia ao PTB em Beneditinos

Colônia do Gurgueia Por Geney Ribeiro

Escola Dom Avelar em Colônia do Gurgueia realiza gincana de matemática

São João dos Patos - MA Por Cleyton Luis

Grave acidente deixa vitima no município de Mirador-Ma

Água Branca-PI Por Lenno Oliveira

Água Branca ganha Prêmio Gestor Educador

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium