Sábado, 24 de agosto de 2019
(86) 99915-1055
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Equatorial - Energia
[email protected]
(61) 98191-9906
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília

FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília

Jornalista Milton Atanazio Jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS.

[email protected]

(61) 98191-9906

Política - Dstaques do dia

Postada em 12/05/2019 ás 09h02

Publicada por: Jornalista Milton Atanazio

12 de maio, Domingo – Destaques de hoje nos principais jornais
Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado
12 de maio, Domingo – Destaques de hoje nos principais jornais

A coluna Foco na Política – Direto de Brasília deseja a todos os nossos leitores um “Feliz Dia da Mães” e um Excelente Domingo!

12 de maio, Domingo – Destaques de hoje nos principais jornais

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado

Lula pede regime aberto; Primeiro emprego formal tem demorado mais. Jornais de domingo (12) E MUITO MAIS...

A defesa do ex-presidente Lula apresentou pedido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que o político passe a cumprir sua pena em regime aberto. O Globo explica que os advogados querem que o tempo já cumprido por Lula na cadeia seja abatido do cálculo da pena e que seja ultrapassada a fase de semiaberto, para que o ex-presidente vá direto para o regime aberto, "diante da (conhecida) inexistência de estabelecimento compatível” para abrigar Lula. Além disso, a defesa pede a nulidade do processo e a absolvição do petista.

O Globo afirma que Lula havia orientado seus advogados a não pedirem a progressão de regime para marcar sua posição de vítima de um processo político. No entanto, aliados teriam convencido o ex-presidente a mudar de ideia e pedir o benefício à Justiça.

Lula pede ao STJ para cumprir resto da pena em regime aberto Clique e assista o link) https://g1.globo.com/globo-news/jornal-das-dez/videos/v/lula-pede-ao-stj-para-cumprir-resto-da-pena-em-regime-aberto/7609417/

O matutino carioca destaca ainda, na primeira página, levantamento feito pela consultoria iDados que mostra que o emprego formal para os jovens brasileiro está chegando cada vez mais tarde. De acordo com a pesquisa, a idade média do primeiro emprego com carteira assinada atualmente é de 28,6 anos. Entre os anos de 2006 e 2014, essa idade era em média de 25 anos.

Segundo O Globo, a crise econômica agravou esse quadro e o alto índice de desemprego faz com que profissionais qualificados aceitem trabalhar por salários menores, retirando a vaga dos jovens que estão em busca do primeiro emprego. O atraso na entrada do jovem no mercado de trabalho dificulta o financiamento da Previdência e a aposentadoria dos trabalhadores, já que o empregado demora mais a iniciar seu tempo de contribuição. "Vaga formal para jovem só chega após os 28 anos", sublinha a manchete do Globo.

A Folha de S.Paulo revela que o ex-prefeito de São Paulo João Doria gastou 122% a mais com publicidade em 2018 do que o permitido em lei. Segundo o matutino, uma auditoria do Tribunal de Contas Município (TCM) aponta que Doria gastou R$ 73,8 milhões com propaganda no primeiro semestre de 2018. O valor máximo que poderia ser gasto era de R$ 33,3 milhões, segundo cálculos do TCM.

A Folha explica que, pela lei, nos primeiros seis meses do ano eleitoral, o agente público não pode gastar mais do que a média do que foi gasto nos primeiros semestres dos três anos anteriores. Ao estabelecer a regra, a lei eleitoral afirma que o princípio pretende preservar "a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais".

A Folha lembra que Doria ganhou as eleições de 2018 e se tornou governador de São Paulo, com 51,75% dos votos válidos. "TCM vê excesso de gastos de Doria com publicidade", revela a manchete da Folha.

O Estado de S.Paulo comenta o crescimento de investimentos em startups no Brasil e afirma que, em 2018, os fundos investiram US$ 1,3 bilhão nessas empresas, valor que representa aumento de 51% em comparação com o ano de 2017. De acordo com o Estadão, um grupo de investidores com dinheiro no bolso e pouco medo de errar está em busca de ideias que podem se tornar negócios bilionários.

Os números de investimentos devem permanecer altos neste ano e o Estadão dá destaque à criação do megafundo de US$ 5 bilhões da gigante japonesa SoftBank para investir em startups na região da América Latina.

O matutino dá exemplos de empresas que já se tornaram "unicórnios", como são chamados os negócios que atingem US$1 bilhão de valor de mercado, e enfatiza que os investidores aplicam quantias em várias empresas ao mesmo tempo e esperam que aquelas que "vingarem" compensem as que fracassarem. "Investimento em startups brasileiras cresce 51% em 1 ano", destaca o título principal do Estadão.

 Proibir auditor fiscal de informar crime ao MP pode ampliar corrupção, avaliam entidades

 

Estadão - Relatório aprovado em comissão do Congresso restringe fiscalização de auditores aos crimes fiscais e proíbe comunicação ao MP, sem ordem judicial, de crimes como lavagem e corrupção.

Presidentes de entidades que representam auditores fiscais da Receita Federal consideram uma ameaça ao órgão e às investigações de crimes de colarinho branco o relatório aprovado nesta quinta-feira (10) em comissão especial do Congresso que limita a atuação dos profissionais da carreira a delitos fiscais.

Os parlamentares aprovaram na comissão especial que analisa a medida provisória da reforma administrativa uma emenda que proíbe auditor da Receita Federal de comunicar ao Ministério Público indícios de crimes, como lavagem de dinheiro e corrupção.

Qual é a situação de Maduro após tentativa frustrada de derrubá-lo na Venezuela?

 

BBC News - No último dia 8 de fevereiro, quando a luz apagou pela segunda vez durante uma entrevista coletiva no Palácio de Miraflores, os guarda-costas cercaram imediatamente o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Protegido por sua escolta no escuro, tomando contrariado uma xícara de café entregue por um assessor, enquanto sua equipe corria para resolver o inoportuno apagão, Maduro era a imagem de um líder cercado.

Desde que chegou ao poder em 2013, enfrentou sucessivas ondas de protestos, ameaças e sanções dos EUA, explosões de drones enquanto assistia a um desfile militar e, na semana passada, a última tentativa de insurreição da oposição para derrubá-lo.

Mas ele resiste.

Qual é a situação é Maduro após o último levante?

A Venezuela e o resto do mundo estão se perguntando qual é a situação do presidente venezuelano agora e se ele será capaz de suportar novos ataques.

 Um ex-líder chavista afirmou à BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC, que "Maduro é mais forte do que muitos pensam e, apesar das pressões, está com toda disposição".

No entanto, de acordo com essa fonte, "o presidente venezuelano sabe que o jogo não está ganho". E, embora seja ele quem toma as decisões no governo e no Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), faz isso levando em conta as reações das diferentes correntes do chavismo para evitar o risco de uma cisão.

Nas palavras de Ivan Briscoe, analista do International Crisis Group, "Maduro sobrevive, mas dá a impressão de que faz isso a um custo muito alto".

Geoff Ramsey, do Washington Office of Latin America (WOLA), avalia que "embora tenha ficado claro que a oposição não tem força para derrubá-lo, Maduro tem cada vez menos capacidade de governar".

Na mesma linha, o jornalista venezuelano Vladimir Villegas declarou recentemente que a deterioração da situação chegou a um ponto em que a Venezuela "não tem gestão pública, apenas uma encenação".

 

Política é principal assunto das fake news no WhatsApp

Estadão - Após analisar por um ano 120 grupos de WhatsApp, pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) descobriram que as correntes de mensagens que continham fake news sobre política atingiam mais usuários do que as conversas com desinformação de outros assuntos. O conteúdo enganoso de política também suscitou discussões mais longas e mais duradouras no aplicativo.

Os autores da pesquisa identificaram ainda um aumento significativo nas conversas políticas com dados falsos perto das eleições. “Teve um pico enorme. O momento político favoreceu a discussão com fake news no WhatsApp”, disse um dos coautores do estudo, Josemar Alves, pesquisador de Ciência da Computação da UFMG.

Estudos sobre desinformação no WhatsApp ainda são raros por causa da natureza privada do aplicativo. As mensagens enviadas são criptografadas de ponta a ponta, o que quer dizer que não podem ser lidas por terceiros. Para driblar essa dificuldade, os pesquisadores selecionaram aleatoriamente na internet links de grupos públicos – aqueles em que qualquer um pode participar com uma URL de convite.

Grupo de empresários amplia lobby no governo

Estadão -Após prometer criar um milhão de empregos no primeiro mês do governo de Jair Bolsonaro (mas ter ficado longe de atingir a meta) e de iniciar um corpo a corpo em Brasília pela aprovação da reforma da Previdência, o movimento de empresários liderado por Flávio Rocha, dono da Riachuelo, pretende avançar em sua atuação em Brasília e participar ativamente na elaboração de políticas públicas. “A ideia é ter ação política”, diz Gabriel Kanner, sobrinho de Rocha e presidente do Instituto Brasil 200.

Por meio da entidade, o grupo de empresários fará lobby no Executivo e no Legislativo por políticas liberais. A entidade já assinou protocolo de intenções com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e pretende colaborar no texto da reforma tributária.

O instituto, que se define como apartidário, tem a deputada Joice Hasselmann (PSL) como coordenadora de sua frente parlamentar e deve se beneficiar da proximidade de seus fundadores com membros do governo e do Congresso.

Tanto Kanner como o vice-presidente do instituto, Helcio Honda (diretor do Departamento Jurídico da Fiesp), têm tido reuniões com nomes como o do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra. Honda esteve ainda duas vezes em Washington, nos EUA, para discutir um convênio de intercâmbio de estudos com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Presidente usou Twitter para falar de urgência em aprovar reforma

Estadão - O presidente Jair Bolsonaro reafirmou neste sábado (11), por meio de redes sociais, que é preciso que a reforma da Previdência seja aprovada sem sofrer muitas modificações para que o país avance economicamente. Atualmente, a proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/2019) está em discussão em comissão especial, na Câmara dos Deputados.

“Precisamos hoje aprovar a Nova Previdência sem tantas modificações para que o mercado ganhe a confiança no Brasil e possamos evoluir cada vez mais”, afirmou.

Bolsonaro também defendeu as medidas de desburocratização que o governo vem tomando com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios e, assim, facilitar a abertura de filiais de empresas estrangeiras no Brasil e atrair mais investimentos para o país.

Precisamos hoje aprovar a Nova Previdência sem tantas modificações para que o mercado ganhe a confiança no Brasil e possamos evoluir cada vez mais.

“Após medidas de desburocratização internas diárias e a MP da liberdade econômica aceleramos abertura de filiais estrangeiras no Brasil, caindo de 45 para 3 dias (Registro de empresas). Medida busca melhorar o ambiente de negócios para atrair cada vez mais investimentos ao país”, escreveu.

 A coluna Foco na Política – Direto de Brasília deseja a todos os nossos  leitores um “Feliz Dia da Mães” e um Excelente Domingo!

 

 

 

Fonte: g1

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium