Domingo, 26 de maio de 2019
(86) 99915-1055
redacao@portalr10.com
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
curiosidades@portalr10.com
(86) 99915-1055
Curiosidades

Curiosidades

Curiosidades Coluna de notícias curiosas.

curiosidades@portalr10.com

(86) 99915-1055

Internacional - Curiosidades

Postada em 13/05/2019 ás 10h34 - atualizada em 13/05/2019 ás 10h44

Publicada por: Bruno Paz

Nasa simula colisão de asteroide com a terra
A cidade de Nova York caba sendo totalmente destruída.
Nasa simula colisão de asteroide com a terra

Imagem ilustrativa

Uma simulação da NASA demonstrou os esforços de agências espaciais de todo o mundo para "derrotar" um asteroide que atingiria a cidade de Denver, nos Estados Unidos. O problema é que os cientistas acabaram destruindo Nova York como consequência de salvar Denver, cidade que fica a mais de 2 mil quilômetros de distância do alvo inicial.

O teste foi realizado na semana passada durante a Conferência Anual de Defesa Planetária da NASA, que reuniu agências espaciais de todo o mundo, como a FEMA (Agência Federal de Gestão de Emergências). A simulação começou com a descoberta do fictício PDC 2019, que tinha apenas uma chance em 50 mil de atingir a Terra. O corpo celeste estava longe graças à órbita excêntrica que o estava levando, em um primeiro momento, a uma distância 18 vezes maior do que o espaço que separa a Terra da Lua. Nenhum perigo até aí.

Mas, à medida em que os anos imaginários se passavam na simulação, as chances de impacto aumentavam constantemente até o momento em que os cientistas tiveram a certeza de que o asteroide de 180 metros de largura atingiria a Terra.

A localização do impacto foi inicialmente determinada como próxima à cidade de Denver, no estado americano do Colorado. Os pesquisadores determinaram que a cidade enfrentaria condições "de sobrevivência impossível", ressaltando que até mesmo grãos de areia explodiriam.

Então, a primeira decisão dos cientistas foi atirar naves espaciais no asteroide na esperança de desviá-lo – na vida real, a NASA está preparando uma missão de “impacto cinético”, chamada DART.

Inicialmente, o plano havia funcionado, mas a alegria não durou muito tempo: um fragmento de 200 metros se soltou do asteroide e atingiria o Central Park, em Nova York, em apenas 10 dias. Na simulação, o corpo celeste pegaria fogo a 1,6 km acima da cidade, produzindo uma explosão com tanta energia quanto uma arma nuclear.

O impacto em Nova York tornaria os bairros de Manhattan, Brooklyn, Bronx, Queens e alguns quarteirões de Nova Jersey e Nassau County inabitáveis. O distrito de Staten Island, entretanto, teria sido poupado – mas a região deixaria de existir em pouco tempo.

Na vida real, as chances de um asteroide cair bem em cima do centro da cidade de Nova York são minúsculas, considerando o tamanho da Terra e quanto dela é água ou espaço desabitado. Enquanto isso, a NASA e outras agências espaciais continuarão a reforçar suas habilidades de monitoramento de asteroides, uma vez que mais tempo de antecedência significa decisões mais precisas.

Fonte: Canal Tech

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium