Domingo, 26 de maio de 2019
(86) 99915-1055
redacao@portalr10.com
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
fran.152@hotmail.com
(86) 98104-5810
Cabeceiras do Piauí

Cabeceiras do Piauí

Francisco Rocha Correspondente do município.

fran.152@hotmail.com

(86) 98104-5810

Cidades - Esclarecimento

Postada em 15/05/2019 ás 17h00 - atualizada em 17/05/2019 ás 11h23

Publicada por: Francisco Rocha

Prefeito de Cabeceiras se posiciona sobre obra paralisada da creche
O gestor disse que ao assumir a prefeitura em 2013 já encontrou a obra parada.
Prefeito de Cabeceiras se posiciona sobre obra paralisada da creche

Prefeito de Cabeceiras do Piauí, José Joaquim. (Foto: Reprodução)

O prefeito do município de Cabeceiras do Piauí, José Joaquim de Sousa Carvalho (Progressistas), em contato com a redação do portalr10.com/cabeceiras, se posicionou a respeito do atraso na conclusão da creche do Proinfância.

Em relação ao assunto, o gestor esclareceu que a obra é um convênio entre o Governo Federal e a prefeitura firmado ainda em 2011 no valor de mais de 1 milhão e 291 mil reais. José Joaquim ressaltou que em 2012 a gestão municipal da época adulterou o sistema de monitoramento do FNDE chamado SIMEC, prestando contas de recursos como se 90% da obra tivesse sido concluída, sem que sequer metade tenha sido executada, mas apenas 49%. “Após a prestação de contas feita por eles, o MEC liberou todo o restante dos recursos e gastaram o dinheiro na campanha eleitoral em setembro de 2012, conforme nos informou o dono da empresa, e abandonaram a obra”, disparou.

O prefeito disse ainda que ao assumir a prefeitura no ano de 2013 já encontrou a obra parada e com inconformidades, investigou, comprovou e denunciou o fato à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Ministério da Educação e Cultura, porque até mesmo os 49% realizados estavam todos errados. “Veio uma engenheira do FNDE e relatou as irregularidades”, acrescentou. José Joaquim ainda enfatizou que já tomou todas as providências que cabiam a ele como prefeito, e denunciou o caso ao MPF e MEC. “Obra com recurso desviado, como a creche e açude, não andam”, ponderou.

O gestor levantou um questionamento a respeito da localização da obra da creche. “Por que a creche fica à margem de uma lagoa? Para valorizar o terreno de um ex-prefeito”, alfinetou José Joaquim.

Fonte: Direto da Redação

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium