Quarta, 24 de abril de 2019
(86) 99915-1055
Geral - Homicídio

Postada em 10/12/2017 ás 01h46 - atualizada em 10/12/2017 ás 12h45

Publicada por: Redação

PM mata universitária em festa com pelo menos 20 tiros por causa de música funk
Hayssa e o PM eram convidados de uma festa em sobrado na Rua Camaipi e não se conheciam.
PM mata universitária em festa com pelo menos 20 tiros por causa de música funk

A universitária Hayssa Alves de Souza Andrade, 21 anos, foi morta pelo cabo PM Jorge Luis Aguiar da Silva, 39 anos, que disparou pelo menos 20 tiros contra ela em uma festa em Campo Grande. O motivo: a escolha de uma música.

Hayssa e o PM eram convidados de uma festa em sobrado, na Rua Camaipi e não se conheciam. Segundo uma prima de Hayssa, que pediu para não ser identificada, cada um podia escolher uma música. Hayssa escolheu um funk. O policial não gostou e começou a ameaçá-la. A música foi interrompida, mas as ameaças continuaram. "Ele chutou o copo dela e perguntou por que Hayssa estava rindo. Depois, ameaçou-a de morte e atirou 26 vezes", contou a prima.

Segundo o delegado Fábio Cardoso,titular da Divisão de Homicídios (DH) da Capital, o PM teria ficado irritado porque a música escolhida faria apologia ao Comando Vermelho. "Após a amiga da vítima colocar a música, o policial — que durante o tempo todo se mostrou arrogante, truculento e ostentando a arma — foi tirar satisfações, dizendo que aquilo era música de bandido", relata. Ainda de acordo com o delegado, Hayssa perguntou ao PM se ele pretendia usar a amar para atacá-la.

O PM, então, descarregou a pistola calibre 380 na mulher. "Ele usou todas as munições, que tinha dentro da arma contra a vítima. Essa arma tem capacidade para 19 munições e uma na câmara. Ou seja, ele pode ter dado até 20 tiros na jovem", explica o delegado.

Hayssa chegou a ser levada para o Hospital Municipal Rocha Faria, mas não resistiu aos ferimentos. 

O laudo de necropsia apontou 36 lesões de arma de fogo na vítima. Vinte e duas balas entraram e 14 saíram. "Isso não quer dizer que ela foi baleada 36 vezes. A vítima teve várias lesões nas mãos e nos braços — tipico de defesa. Essas balas entraram pelos braços, saíram e atravessaram outros órgãos. Por isso, esse número alto de perfurações". Segundo a perícia, os disparos atingiram principalmente as mãos, os braços, o tórax e órgãos internos.

O cabo PM Jorge foi preso em flagrante por homicídio qualificado, prestou depoimento e foi levado para a Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niteró. Ele é lotado no Centro de Controle Operacional da Polícia Militar (Cecopom), e na segunda-feira será encaminhado para uma audiência de custódia. A DH pediu à Justiça que a prisão em flagrante seja convertida para preventiva e que o acusado fique detido enquanto o caso não for julgado.

Segundo parentes, Hayssa era a mais nova de duas irmãs e estava no terceiro período do Curso de Administração depois de trabalhar por vários anos como vendedora.

 

Fonte: O Dia

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

Picos Por Jucelma Sales

SMS entrega aparelhos de locomoção para pessoas portadoras de deficiência

Blog do Lucão (Timon e Região dos Cocais) Por Lucas Stefano

'Direito Digital' será tema de duas palestras promovidas pela OAB Timon

Cajueiro da Praia Por Gilmar Araujo

MPF é acionado sobre obra em via de acesso à praia da Barrinha

Piracuruca Por Valdecir Lima & Larícia Castro

North Acqua Park garante qualidade na hora de servir

Simplício Mendes Por Renato Pereira da Silva

O COMUDE realizará nesta quarta uma Roda de Conversa sobre o AUTISMO

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium