Domingo, 16 de junho de 2019
(86) 99915-1055
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Polo Sustentavel Posição 1
Brasil - Lei

Postada em 06/06/2019 ás 10h13 - atualizada em 06/06/2019 ás 10h51

Publicada por: Bruno Paz

Sancionada lei que autoriza internação involuntária de dependentes
A lei foi sancionada pelo Presidente Bolsonaro ainda nessa quarta.
Sancionada lei que autoriza internação involuntária de dependentes

Foto: Ilustração

A Lei nº 13.840, de 5 de junho de 2019, que prevê, entre outras medidas, a internação involuntária de dependente de drogas, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (6). Ela foi sancionada ontem (5) pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e dispõe sobre o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas e as condições de atenção aos usuários ou dependentes e para tratar do financiamento das políticas sobre drogas.

No seu artigo 23-A, o texto diz que o tratamento do usuário ou dependente de drogas deverá ser ordenado em uma rede de atenção à saúde, com prioridade para as modalidades de tratamento ambulatorial, incluindo "excepcionalmente formas de internação em unidades de saúde e hospitais gerais nos termos de normas dispostas pela União e articuladas com os serviços de assistência social e em etapas".

Entre essas etapas, está a que trata da internação do dependente, que somente deverá ser feita em “unidades de saúde ou hospitais gerais, dotados de equipes multidisciplinares e deverá ser obrigatoriamente autorizada por médico devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina (CRM) do estado onde se localize o estabelecimento no qual se dará a internação”.

De acordo com a lei, serão consideradas dois tipos de internação: voluntária e involuntária. Na internação involuntária, o texto diz que ela deve ser realizada após a formalização da decisão por "médico responsável e indicada depois da avaliação sobre o tipo de droga utilizada, o padrão de uso e na hipótese comprovada da impossibilidade de utilização de outras alternativas terapêuticas previstas na rede de atenção à saúde”.

O documento indica que a internação involuntária deveráocorrer no prazo de tempo necessário à desintoxicação do paciente, “no prazo máximo de 90 dias, tendo seu término determinado pelo médico responsável; e que a família ou o representante legal poderá, a qualquer tempo, requerer ao médico a interrupção do tratamento”.

A lei prevê também que todas as internações e altas deverão ser informadas, em, no máximo, de 72 horas, ao Ministério Público, à Defensoria Pública e a outros órgãos de fiscalização, por meio de sistema informatizado único”.

Fonte: Agência Brasil

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Campo Maior Por Wellington Siqueira

Polícia Militar comemora sucesso na segunça no Festejo de Sto.Antônio 2019

São João do Arraial-PI Por Leônidas Silva

Empório Gourmet realizou grande seresta em São João do Arraial

São João dos Patos - MA Por Cleyton Luis

Começou o tradicional festejo de São João Batista em São João dos Patos-Ma

Parnaíba Por Flávio Cristo

Raphael Silva pede apoio à cultura junina em Luis Correia-PI

Barro Duro Por João Paulo

Dia de Festa com Sétima Cavalgada da Amizade em Barro Duro

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium