Quarta, 23 de outubro de 2019
(86) 98111-9939
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Cultura - Cultura

Postada em 24/06/2019 ás 09h37

Publicada por: Bruna Sampaio

Iphan quer forró como patrimônio imaterial
Instituto busca matrizes culturais do gênero sem descartar narrativas.
Iphan quer forró como patrimônio imaterial

Foto: Reprodução

O forró pode ser declarado como patrimônio imaterial do Brasil até meados de 2020. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) iniciou pesquisa nos nove estados do Nordeste, mais o Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo para identificar a forma de expressão que além de gêneros musicais diz respeito a festas e interações sociais ao som da sanfona, zabumba e do triângulo.

A iniciativa foi bem acolhida entre os músicos como o maestro Marcos Farias, filho da cantora Marinês (1935-2007) e afilhado de Luiz Gonzaga (1912-1989), o Rei do Baião. Segundo ele, muitos grupos e artistas que se denominam “de forró” fazem adaptações de cumbia e zouk (de países hispânicos sul-americanos e caribenhos).

“Tiraram o nosso nome. A gente foi usurpado do título e jogado para essas músicas de características latinas”, reclama. Conforme Farias, o que ocorre é “apropriação indevida”, e esses grupos fazem “oxente music”, brinca.

De acordo com Hermano Queiroz, diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan, o trabalho de registro do forró permitirá “mapear as vulnerabilidades, os riscos, a necessidade de promoção do bem”. Ele, no entanto, assinala que “o objetivo do registro não é dar autenticidade a uma narrativa”, e ressalta que há várias narrativas em circulação: “o patrimônio cultural é dinâmico”, explica.

Segundo Queiroz, não é preocupação central saber exatamente em que lugar teria surgido o forró. “A raiz não é o grande problema. O que o registro traz é o potencial de diálogo intercultural entre diversas manifestações”, crê. Ele assinala que a pesquisa do Iphan vai “mapear todos olhares e narrativas sobre esse bem imaterial’ e permitir que músicos de diferentes lugares se conheçam e passem a “ter a compreensão de que embora espraiados em todo o território cultural são irmãos”.

Fonte: Agência Brasil

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Colônia do Gurgueia Por Geney Ribeiro

Prefeita Doquinha visita o prédio onde poderá ser o Centro Cultural

Gilbués-PI Por Henrique Guerra

Bispo Dom Marcos Antonio Tavoni visita comunidade Melancias em Gilbués-PI

Brasileira Por Giva Ferreira

Jayro Ferreira tem artigo de pesquisa publicado em revista internacional

Blog do Lucão (Timon e Região dos Cocais) Por Lucas Stefano

'Papel' e 'FB' são presos após realizarem uma onda de assaltos

Oeiras Por Thainah Cortez

Aprova Oeiras prepara estudantes da rede pública de ensino para o ENEM

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium