Domingo, 09 de Maio de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

26°

23° 33°

Teresina - PI

Últimas notícias
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília
Jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS.
Política Rodrigo Maia
27/06/2019 12h58
Por: Jornalista Milton Atanazio

À espera de acordo com governadores, leitura do Parecer fica para terça

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, comenta a reforma da Previdência
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, comenta a reforma da Previdência

À espera de acordo com governadores, leitura do parecer da Previdência na comissão fica para terça, diz Maia

Presidente da Câmara recebeu líderes para tratar da reforma da Previdência. Ele disse que reunião com governadores vai tentar garantir apoio para incluir estados e municípios na reforma.

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira (27) que a leitura do novo parecer do relator da reforma da Previdência ficará para a próxima terça-feira (2). Havia uma previsão de que a leitura pudesse ocorrer nesta quinta, mas, de acordo com o deputado, o adiamento foi necessário para costurar um acordo com governadores e incluir estados e municípios na reforma.

Continua depois da publicidade

Maia recebeu líderes da Câmara na residência oficial para um café da manhã, no qual foram discutidos os próximos passos da reforma. O relator na comissão especial, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), também participou.

“Nós marcamos uma conversa na terça-feira, que será definitiva. Na terça-feira, com governadores, torço, eu rezo todos os dias, até terça vou rezar. Na terça-feira teremos esse assunto encerrado", afirmou Maia após o café da manhã.

Ele disse ainda que o relator fará a leitura na terça para que a votação do parecer ocorra também na próxima semana.

“A questão é o que nós precisamos para não perder votos. Precisamos que os parlamentares próximos aos governadores compreendam a importância da inclusão dos governadores, colaborarem com os seus estados, ajudando na aprovação da reforma da Previdência", declarou.

Maia afirmou que a aprovação da reforma na Câmara vai mostrar que "a política deu uma solução para a questão previdenciária".

Relação com o Ministério da Economia

Questionado sobre críticas do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao Congresso, Maia disse que precisa contar com apoio da equipe econômica do governo.

A relação entre Maia e Guedes passou por um atrito nas últimas semanas, depois que Guedes criticou mudanças feitas no texto da reforma durante a tramitação na comissão especial.

“Tem um ditado que diz que o peixe morre pela boca. Menos intriga, mais política e mais unidade para a gente aprovar a Previdência. Precisamos que a equipe econômica volte a nos ajudar como nos ajudou até a apresentação desse relatório pelo Samuel. Até ali, o nosso trabalho em conjunto era muito forte. Precisa voltar a ser assim”, declarou

Relator

O relator, também após o encontro de líderes, disse que o adiamento da leitura para terça-feira não atrapalhará o cronograma de votar a reforma no plenário da Câmara no primeiro semestre. O recesso de meio de ano do Congresso está marcado para começar no dia 18 de julho, e vai até o dia 31.

"Uma grande preocupação é incluir estados e municípios neste momento. Por isso, vale a pena espera até a reunião de terça", afirmou Samuel Moreira.

Ele disse ainda que não vê como difícil chegar a um acordo com os governadores sobre o texto da reforma.

"Não está dificil. Os pleitos que eles reivindicaram foram praticamente atendidos [no relatário], por coincidência", completou.

Presidente da comissão

Questionado sobre o adiamento para terça, o presidente da comissão especial, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), disse sentir "frustração" e limitou a responder que "a hora que decidirem" irá convocar a comissão.

"Sobre isso, só vou dizer o seguinte: a hora que decidirem, eu coloco [na pauta]. A minha frustração já é suficiente", afirmou.

Para ele, mesmo com o adiamento para terça, é possível começar e concluir a votação na semana que vem, desde que os partidos estejam dispostos a votar a reforma. "Se toda essa demora for para ter um acordo que só não tenha parte da oposição, dá [tempo] de votar", disse.

Fonte: g1
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp