Sexta, 15 de novembro de 2019
(86) 98111-9939
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Nova Comunicação 2
Oeiras

Oeiras

Correspondente do município.

Cidades - Atividades

Postada em 19/07/2019 ás 08h33 - atualizada em 19/07/2019 ás 09h01

Publicada por: R10 municípios

Oeiras lança projeto de prevenção da gravidez na adolescência
Os oficineiros são profissionais das secretarias municipais de Saúde, Educação e Assistência Social.
Oeiras lança projeto de prevenção da gravidez na adolescência

Foto: Divulgação/Ascom

A gravidez na adolescência tornou-se um grande problema de saúde pública, apresentando implicações de ordem biológica, familiar e econômica, que afetam a sociedade como um todo.

Encarando a necessidade de ampliação das políticas públicas voltadas para a temática, a Prefeitura de Oeiras lançou nessa quarta-feira(17) o Projeto ‘Florescer’ – Prevenção da Gravidez na Adolescência.

Encabeçado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), o projeto conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e tem o objetivo de contribuir para a prevenção e redução dos casos de gravidez na adolescência e infecções sexualmente transmissíveis, no município.

O lançamento do ‘Florescer’ foi marcado por uma Mesa Redonda, que debateu o tema reunindo representantes de diversos segmentos da sociedade – prefeito José Raimundo; Auridene Freitas, secretária municipal de Saúde; secretária municipal de Assistência Social, Vanessa Reinaldo; Christiane Barros, coordenadora do Programa Escola da Família da SEMED; José Alberto, presidente da Câmara Municipal; vereador Espedito Martins; Socorro Cipriano, juíza-titular da 2ª Vara da Comarca de Oeiras; José Francisco, diretor de Educação do IFPI; Adriano Dantas, presidente da OAB – Subseção de Oeiras; Socorro Barros, diretora do IBENS; pastor Marcílio Rangel, da 1ª Igreja Batista; padre Possidônio Barbosa, da Paróquia Nossa Senhora da Vitória.

O debate, mediado pelo sociólogo Nelson Muniz, coordenador de Doenças Sexualmente Transmissíveis da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), também contou com a participação da advogada Leidiane Ferraz, representante do Coletivo Esperança Garcia; Ricardo Siqueira, representante do Rotaty Club de Oeiras; Maria Gardênia e Maria Medianeira, representantes do Conselho Tutelar; professora Luzia Saldanha, gerente da 8ª Gerência Regional de Educação (GRE); Geórgia Salane, enfermeira do setor de atendimento de gestantes adolescentes (zona urbana); Inês Pacheco, enfermeira do setor de atendimento de gestantes adolescentes (zona rural); Josevaldo Lemos e Ednaldo Leal, diretores das escolas estaduais CETI Rocha Neto e Costa Alvarenga, respectivamente, e de Jeferson Nunes, médico ginecologista e obstetra, referência no Projeto Florescer.

No encontro, foram discutidos vários fatores associados à gravidez na adolescência, entre eles: atividade sexual precoce, orientação sexual insatisfatória, dificuldade de acessos aos métodos anticoncepcionais e aos serviços de saúde, fragilidade na estrutura familiar, nível socioeconômico; dificuldades sociais, emocionais e psicológicas; baixa escolaridade, violência e abuso sexual e questões culturais e religiosas. “O projeto diz respeito à promoção da qualidade de vida da população jovem. Cuidando dela, vamos também impactar nesse futuro adulto. Estamos vivendo hoje uma situação preocupante, não só na questão da gravidez na adolescência, mas também nos casos de sífilis na juventude. Essa ação é uma forma de prevenir tanto a sífilis, quanto a gravidez – não que a gravidez seja doença, mas ela traz consequência para vida da adolescente, para a família e para a sociedade. Então, ganha toda a sociedade do município com o desenvolvimento desse projeto”, argumenta Nelson Muniz.

A secretária municipal de Saúde pontua que a atenção à saúde do adolescente tornou-se uma das prioridades em Oeiras. Isto se deve à constatação de que a formação do estilo de vida do adolescente é crucial, não somente para ele, como também para as gerações futuras. “Nós entendemos a necessidade de envolver todos os segmentos da sociedade na discussão dessa política, com a proposta de melhor realizar essas ações. Apenas o segmento da saúde não tem a capacidade técnica de conseguir ter resultados positivos e um avanço dentro dessa proposta, de maneira impactante na redução deste indicador, se nós não buscarmos este apoio dos demais segmentos, que aqui estiveram representados”, argumenta Auridene Freitas.

Além da Mesa Redonda, o projeto está promovendo a formação de oficineiros e profissionais da rede. Nesta quarta-feira, a formação foi destinada aos agentes comunitários de saúde da zona rural. Na quinta-feira, a capacitação foi direcionada aos agentes comunitários de saúde da zona urbana e qualificação dos oficineiros que atuarão no projeto.

Auridene Freitas afirma que os indicadores do município demonstram a necessidade de incremento nas ações destinadas à prevenção da gravidez na adolescência. Em 2017, foram registrados 124 casos de crianças nascidas vivas de mães adolescentes no município; em 2018, foram notificados 91 casos. “Oeiras tem um indicador muito alto de casos de gravidez na adolescência, o que vai impactar em uma gravidez de alto risco. Estamos confiantes, porque a proposta foi lançada, colocada e acatada por todos que aqui se fizeram presentes. Compreendemos a importância do envolvimento de toda a sociedade nesse projeto. Não são resultados que vão aparecer do dia para a noite. São resultados a longo prazo”, pondera Auridene Freitas.

Centro de Apoio ao Adolescente

Na oportunidade, o prefeito José Raimundo anunciou a criação do Centro de Apoio ao Adolescente Florescer, um espaço de escuta, atendimento e reflexão sobre sexualidade, saúde sexual e reprodutiva de adolescentes de 10 a 19 anos, que será inaugurado em agosto.

“O perfil do Centro de Apoio ao Adolescente é de prevenção e promoção, que se equipara ao de um posto de saúde. Lá, teremos uma equipe formada por médico ginecologista e obstetra, enfermeiro, enfermeiro, técnico em enfermagem e psicólogo. O primeiro contato do adolescente será com o psicólogo, num momento de escuta. Vamos ter atividades individuais e coletivas, acesso aos métodos contraceptivos disponível no SUS, além de realização de prevenção, se for o caso, de exame preventivo do colo do útero, início de consulta de pré-natal. A intenção é apoiar e formar um vínculo com o adolescente. Os profissionais do Centro vão estar em contato direto com a rede”, explica a enfermeira Alexsandra Fontes, coordenadora municipal de Saúde da Mulher.

No início deste ano, profissionais da Semusa realizaram uma visita técnica ao município de Sobral-CE, que desenvolve um projeto para redução da mortalidade materno-infantil. “Buscamos inspiração no projeto de Sobral, sentamos e elaboramos o projeto Florescer, que lançamos hoje, com a Mesa Redonda e formação dos profissionais de saúde e oficineiros”, pontua.

Os oficineiros são profissionais das secretarias municipais de Saúde, Educação e Assistência Social e da 8ª GRE, que atuarão dentro das escolas, desenvolvendo oficinas abordando diversas temáticas relacionadas ao Projeto Florescer. “Queremos trazer o adolescente para dentro do contexto, envolve-lo. Nas oficinas também será o momento de divulgar o Centro de Apoio ao Adolescente”, finaliza Alexsandra Fontes.

Fonte: Prefeitura Municipal

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium