Segunda, 18 de novembro de 2019
(86) 98111-9939
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
[email protected]
(86) 99915-1055
Radar Político

Radar Político

Radar Político Tudo sobre Política.

[email protected]

(86) 99915-1055

Piauí - Decisão

Postada em 22/08/2019 ás 17h27 - atualizada em 23/08/2019 ás 09h41

Publicada por: Bruna Sampaio

Justiça condena vereador Wanderson Bispo a 7 meses de detenção
A sentença foi dada em 15 de julho de 2019 e cabe recurso ao TRF1.
Justiça condena vereador Wanderson Bispo a 7 meses de detenção

Foto: Divulgação

A Juíza Federal Vládia Maria de Pontes Amorim, da 3ª Vara Federal da Seção Judiciária do Piauí, julgou procedente ação penal proposta pelo MPF e condenou o vereador Wanderson Bispo de Carvalho (PSB) a 07 meses de detenção.

A sentença foi dada em 15 de julho de 2019 e cabe recurso ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). A denúncia aponta irregularidades com recursos federais.

Segundo a denúncia, foi instaurado inquérito com a finalidade de apurar a ocorrência de irregularidades na aplicação dos recursos de diversos programas do Ministério da Educação, no município de Barra D'Alcântara no ano de 2008, noticiadas no Relatório de Fiscalização nº 01524 da Controladoria Geral da União (CGU).

Afirma ainda que, no período de janeiro a dezembro de 2008, quando Gilvando Ferreira dos Santos era prefeito, foram realizadas despesas com gastos variados, utilizando-se de recursos da conta do Fundeb, constatando-se pagamentos de faturas de água, energia elétrica de uma casa de estudantes em Teresina-PI, além de pagamentos de multas e juros de distribuições do (FGTS), compra de gênero alimentícios, aquisição de fardamentos escolar e etc.

O denunciante argumenta que o vereador Wanderson Bispo de Carvalho exercia na época, o cargo de Diretor Financeiro do Município de Barra D'Alcântara, sendo ordenadores de despesas e igualmente responsável pelas irregularidades constatadas na aplicação dos recursos federais.

O réu, Wanderson Bispo de Carvalho teve a pena privativa de liberdade, substituída por uma pena restritiva de direito, no caso, prestação de pecuária no valor de 1 (um), salário mínimo no *valor de R$ 998 *(novecentos e noventa e oito reais) em favor de uma entidade pública ou privada, com a destinação social a ser indicada pela juíza da execução penal.

OUTRO LADO

Procurado pelo Portal R10, o vereador afirmou que vai recorrer da decisão. "Vamos recorrer. A questão não foi desvio de recurso, foi que, o que foi para ser aplicado na atenção básica não foi aplicado", disse.

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium