Sábado, 14 de dezembro de 2019
(86) 98111-9939
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Nova Comunicação 1
[email protected]
(86) 99915-1055
Radar Político

Radar Político

Radar Político Tudo sobre Política.

[email protected]

(86) 99915-1055

Política - Política

Postada em 12/11/2019 ás 15h31

Publicada por: Bruna Sampaio

Liége Cavalcante poderá ser vice de Joãozinho Félix em Campo Maior
Ela é presidente provisória do PP e atual vice-prefeita de Campo Maior.
Liége Cavalcante poderá ser vice de Joãozinho Félix em Campo Maior

Edilson Sousa, primo de Paulo Martins. Antes aliado, agora disputando com Liége pela vice.

As cortinas dos bastidores da política escondem as forças e os movimentos partidários que visam o fortalecimento dos grupos pensando não somente nas eleições do próximo ano, mas também no pleito eleitoral que irá delinear o cenário estadual em 2022.

A reviravolta dos Progressistas 

Depois de ser praticamente descartada do cenário eleitoral, a presidente provisória do PP e atual vice-prefeita de Campo Maior, Liége Cavalcante, ressurge com o implacável Ciro Nogueira e desestabiliza o esquema montado pelo ex-prefeito Paulo Martins (PT) que tenta viabilizar o primo, Edilson Sousa, presidente do PSD municipal, como pré-candidato a vice prefeito de Professor Ribinha (PT).

A indicação de Edilson Sousa faz parte de uma estratégia de perpetuação do poder de Paulo Martins na política campomaiorense. A briga pela vaga de vice coloca em cheque o destino de Liége Cavalcante que mostra força no cenário, mas que vê em Paulo Martins um impasse que pode provocar debandada no grupo político do Professor Ribinha.

Ciro, amigo de Félix

A conta é simples, no mínimo uma vaga de vice. Com Edilson Sousa na cabeça de vice de Ribinha do PT, Dra. Liége reivindicará por espaços a altura da força e prestígio junto a Ciro Nogueira, que também é amigo pessoal de Joãozinho Félix que sempre votou e militou com senador por melhorias para Campo Maior.

Joãozinho Félix prestigia evento de filiações do PP em Campo Maior - Foto: reprodução

Em uma eleição polarizada, não é descartada o ressurgimento da aliança Félix com Liége. Uma parceria desenhada tanto para as eleições do próximo ano, como para o pleito de 2022, uma vez que, Ribinha do PT e Paulo Martins devem seguir com líder maior, o excelentíssimo senhor governador Wellington Dias.

Os reencontros são constantes. A aproximação não é de agora, mas sim de várias eleições. Ciro, Félix e Liége já pediram votos juntos e fizeram diversas campanhas. Assim como pode ser vice de Ribinha por conveniência, Liége também pode ser de Joãozinho Félix por afinidade. Uma oportunidade entanto para um troco no domínio de Paulo Martins nos rumos eleitorais de Campo Maior.

O corte nas asas de Paulo Martins

A lógica nem sempre é o resultado final. Taxado de sombra de Paulo Martins, Ribinha do PT pode mostrar imposição ao ex-prefeito e tirar Edilson Sousa dos planos e manter Liége Cavalcante na vaga de vice-prefeita.

Não é segredo que dentro do Palácio dos Carnaubais o fogo amigo entre as duas maiores lideranças do PT de Campo Maior alimenta o ego político que pode provocar uma racha no grupo de situação. Paulo Martins inclusive já teria confidenciado a correligionários, a possibilidade de sair candidato a prefeito de Campo Maior.

No Palácio do Karnak, Paulo Martins já teria dado um recardo a Wellington Dias que sairá candidato caso o Professor Ribinha venha deixar o Partido dos Trabalhadores para apoiar os Progressistas de Ciro Nogueira. Paulo Martins inclusive teria mostrado uma cartilha ao governador sobre o domínio que tem dentro do Palácio dos Carnaubais.

Em conversa com Dias, Paulo Martins diz ter a indicação de 10 das 17 principais funções das gestões de 1º e 2º escalão dentro do Palácio dos Carnaubais deixando a entender que, mesmo não sendo prefeito, consegue agregar uma força política perante ao Ribinha.

Liége vice e quebra do PSD 

Paulo Martins, mesmo sendo do PT, indicou o Edilson Sousa como presidente e fortaleceu o PSD em Campo Maior. Em evento com a presença do deputado estadual Georgiano Neto, o partido conseguiu viabilizar um grupo com com vereadores de mandatos e suplentes com expressiva votação nas eleições de 2016.

A cabeça de vice prefeito do partido daria mais força e folego aos candidatos que pretendem disputar o poder legislativo. Os correligionários do PSD temem que assessão da atual vice-prefeita Liége Cavalcante venha a atrapalhar a estrutura do PSD que tem como certo o nome de Edilson Sousa, como vice de Ribinha.

PSD mostra grupo. Vereadores de mandatos e suplentes querem o partido na vaga de vice. - Foto: reprodução

Fonte: Portal de Olho

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium