Quinta, 06 de agosto de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Camanha ProPiauí Julho
[email protected]
86 9 9834-2372
Saúde

Saúde

R10 Saúde Encontre aqui notícias sobre saúde e bem-estar.

[email protected]

86 9 9834-2372

Saúde - Saúde

Postada em 24/12/2019 ás 12h33 - atualizada em 24/12/2019 ás 12h36

Publicada por: Bruna Sampaio

Médicos identificam tratamento que pode ajudar a curar a ansiedade
Pesquisadores afirmam que identificaram uma resposta para ajudar esses pacientes.
Médicos identificam tratamento que pode ajudar a curar a ansiedade

Foto: Reprodução

Terapia que recorre a 'sinais de segurança' contribuiria para a melhoria dos sintomas de pacientes que não respondem bem a tratamentos convencionais ou à toma de medicação. Ser acompanhado por um psicólogo ou psiquiatra ou tomar fármacos não significa que o estado patológico de um indivíduo desapareça, pois há quem ainda assim possa continuar a sentir os sintomas do transtorno, como a aceleração dos batimentos cardíacos e a sensação de 'nó' na garganta. 

Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, afirmam que identificaram uma resposta para ajudar esses pacientes: 'sinais de segurança', como uma música, uma fotografia de um ente querido ou amigo ou até um bichinho de pelúcia. 

Os especialistas notaram que observar as formas assustadoras juntamente com as agradáveis suprimia o sentimento mau. Analisando diversos estudos, identificaram que os 'sinais de segurança' (representados pelas imagens 'boas') afetam uma rede de neurônios numa região diferente da que é afetada durante os tratamentos convencionais. 

Tal ocorre porque as terapias, geralmente, são baseadas no extermínio de um medo específico. “Mesmo que uma memória segura seja formada durante a terapia, estará sempre em competição com outras memórias ameaçadoras que surgiram antes”, disse em comunicado Dylan Gee, líder da pesquisa. 

Segundo a especialista, o uso dos 'sinais de segurança' pode ajudar sobretudo aqueles que não são acompanhados por um psicólogo. “Tanto a terapia cognitiva comportamental, quanto o uso de antidepressivos podem ser muito eficientes, mas há uma parte substancial da população que não responde positivamente a esses métodos, ou os benefícios não duram a longo prazo”, comentou. 

Fonte: Noticias ao minuto

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium