Quarta, 05 de agosto de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Camanha ProPiauí Julho
[email protected]
86 9 9834-2372
R10 Policial

R10 Policial

R10 Policial Tudo sobre notícias policiais do Brasil e do mundo.

[email protected]

86 9 9834-2372

Polícia - Violência

Postada em 16/03/2020 ás 11h40 - atualizada em 16/03/2020 ás 11h47

Publicada por: Geysa Silva

Delegado suspeito de matar a esposa e a enteada é indiciado por feminicídio
Indiciamento também teve incidência de aumento de pena pelo crime ter sido cometido próximo da filha
Delegado suspeito de matar a esposa e a enteada é indiciado por feminicídio

Foto: Reprodução

O delegado Erik Busetti, suspeito de matar a esposa e a enteada a tiros, em Curitiba, foi indiciado pela Polícia Civil por duplo feminicídio com incidência de aumento de pena por ter cometido o crime próximo da filha de nove anos.

O inquérito foi concluído nesta segunda-feira (16) e será encaminhado para o Ministério Público do Paraná (MP-PR).

O crime ocorreu no fim da noite do dia 4 de março, no bairro Atuba. A esposa dele, Maritza Guimarães de Souza, tinha 41 anos e era policial civil. A filha dela tinha 16 e se chama Ana Carolina de Souza.

A menina de nove anos estava dormindo no quarto no momento do crime, mas ouviu os disparos, segundo a delegada Camila. A criança não ficou ferida e foi levada para a casa de um vizinho pelo suspeito após o ocorrido.

De acordo com a delegada Camila Cecconello, imagens de câmeras de segurança mostram que o casal discutiu por pelo menos três horas antes do crime e que Maritza tentou fazer as malas indicando que sairia de casa, mas ele a impediu.

Os dois estavam juntos há, aproximadamente, dez anos, e estavam em processo de separação há pelo menos um ano, conforme o relato de testemunhas e familiares.

A delegada disse ainda que a adolescente Ana Carolina foi agredida pelo padrasto dentro do quarto com chutes e tapas pouco tempo antes de morrer. Testemunhas que foram ouvidas no processo, segundo a delegada, disseram que a menina era bem tratada por Erick e que ele não costumava fazer distinção entre ela e a filha de nove anos.

Erick disparou pelo menos sete tiros contra a esposa e seis contra a enteada. "É possível ainda que uma ou duas balas tenham atingido as duas vítimas", detalhou a delegada. As vítimas morreram abraçadas, segundo ela.

Ainda conforme a delegada Camila, a câmera não mostra qual das duas vítimas foi atingida primeiro pelos tiros.

Os disparos foram feitos pela arma utilizada que o delegado usa no trabalho e entregue à polícia por ele mesmo, segundo a delegada Camila.

O laudo da perícia feita nos celulares das vítimas ainda não foi concluído. No entanto, a delegada adiantou que Maritza mandou mensagens horas antes do crime para uma advogada da família afirmando que a relação estava insustentável e que ela queria a separação de qualquer jeito.

"Assim que for concluído, esse laudo será anexado ao processo para ajudar nas investigações", disse Camila.

Com a conclusão do inquérito, agora o MP-PR decide se oferece ou não denúncia contra o delegado.

Prisão em flagrante

O delegado Erick Busetti foi preso em flagrante e está detido no Complexo Médico-Penal (CMP) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Durante o depoimento, ele ficou calado perante a Polícia Civil.

A delegada contou que, na cena do crime, Busetti estava em estado de choque e que durante o interrogatório aparentava estar abalado.

A Polícia Militar (PM) foi ao local, e a Polícia Civil chegou na sequência. De acordo com a delegada, ele deixou a arma no chão e se entregou.

Fonte: G1

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium