Terça, 03 de Agosto de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

32°

21° 35°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Policial
R10 Policial
Tudo sobre notícias policiais do Brasil e do mundo.
Polícia Polícia investiga
17/03/2020 16h30
Por: Geysa Silva

Motorista de aplicativo, PM é acusado de se masturbar para passageira

Um motorista de aplicativo e policial militar suspeito de se masturbar em frente a uma passageira durante uma corrida realizada no sábado (14), em Cuiabá, está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher por importunação sexual.

A Uber, empresa para a qual o motorista presta serviço, disse que repudia qualquer ato de violência contra mulheres. Informou também que pediu uma nova checagem dos antecedentes criminais do suspeito e que a conta de Rodolfo Azevedo Duarte na empresa foi banida logo após a denúncia.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Já a Polícia Militar, por meio da Corregedoria, informou que será instaurado um processo disciplinar para apurar a conduta do militar. Segundo a PM, Rodolfo começou a trabalhar na corporação em 2011 e está afastado desde 2017.

Continua depois da publicidade

Ele também responde a processo disciplinar de caráter demissório. No entanto, desde a denúncia, ele não foi localizado.

De acordo com a Polícia Civil, existem outras ocorrências de crimes semelhantes registrados contra Rodolfo nos anos de 2016, 2017 e 2018.

A estudante Bruna Figueiredo contou à reportagem que solicitou a viagem pelo aplicativo para ir a casa de uma amiga no sábado a noite, mas, antes de chegar no destino, o motorista parou em uma rua escura fora da rota.

“Ele começou a se masturbar e pediu para eu ir para o quarto dele. Também tentou tocar em mim, foi quando desesperei e comecei a gritar. Consegui sair e corri por umas quatro quadras e liguei para o meu namorado, que foi me buscar”, relatou.

Logo após o crime, a vítima procurou a Delegacia da Mulher e registrou um boletim de ocorrência contra o suspeito.

A delegacia informou que solicitará à empresa que prestou o serviço pelo aplicativo mais detalhes sobre Rodolfo e qual foi o trajeto feito por ele.

Em seguida, Rodolfo deve ser intimado para prestar depoimento. O inquérito deve ser concluído em 30 dias.

Fonte: G1
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp