Domingo, 29 de março de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Governo Full Banner Cachoeiras
[email protected]
86 9 9834-2372
Saúde

Saúde

R10 Saúde Encontre aqui notícias sobre saúde e bem-estar.

[email protected]

86 9 9834-2372

Saúde - Covid-19

Postada em 26/03/2020 ás 09h51 - atualizada em 26/03/2020 ás 11h03

Publicada por: Francine Dutra

Coronavírus sofre mutações no Brasil após transmissão comunitária
A equipe de cientistas que realizou o trabalho também é responsável pelo sequenciamento do genoma.
Coronavírus sofre mutações no Brasil após transmissão comunitária

Foto: Reprodução/AFP

Após cientistas sequenciarem o genoma do coronavírus em pacientes do Sudeste, Sul e Centro-Oeste, foi constatado que o vírus Sars-CoV-2, em alguns pacientes, já apresenta características diferentes do coronavírus introduzidos no primeiros casos. O processo é resultado da transmissão comunitária confirmada pelo Ministério da Saúde na sexta-feira, 20.

O trabalho foi feito em 48 horas por cientistas do Laboratório de Bioinformática do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O objetivo é rastrear mutações que possam significar aumento ou diminuição da gravidade, além do funcionamento da transmissão. O mesmo grupo também sequenciou o genoma do vírus do primeiro paciente confirmado no Brasil.

Para o estudo, foram usados os genomas completos de 19 pacientes em hospitais de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Goiás. Dois de origem asiática e o restante proveniente da Europa. As informações são do Jornal O Globo.

Entre os vírus estudados, há marcas no genoma que indicam a mudança desde que chegou ao Brasil. Segundo uma das autoras do trabalho, Ana Tereza Vasconcelos, isso significa que o coronavírus já está presente no País há um tempo e na quantidade suficiente para que as alterações fossem tão visíveis. Sendo um vírus de RNA, o material genético é simples e altamente sujeito à mutações.

Os cientistas vão continuar o acompanhamento, porque, segundo eles, ainda há vírus entrando no País. Os pesquisadores também vão analisar amostras de Sars-CoV-2 de pacientes em estado grave. A investigação vai se concentrar em identificar se no material genético desses vírus há algum indício que possa apontar para a gravidade da doença. Ainda não existem estudos que comprovem essa teoria.

Fonte: O Povo

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
Municípios
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium