Quarta, 23 de setembro de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Governo Setembro 3
[email protected]
(86) 99446-2372
Marcelo Barradas

Marcelo Barradas

Marcelo Barradas Notícias com Marcelo Barradas

[email protected]

(86) 99446-2372

Piauí - Maternidade

Postada em 06/05/2020 ás 09h50

Publicada por: Bruna Sampaio

Sindicato denuncia más condições de trabalho na Evangelina Rosa
Local onde funciona o banco de sangue não tem espaço para repouso
Sindicato denuncia más condições de trabalho na Evangelina Rosa

Foto: Divulgação

Diretoras do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do Piauí (SINDESPI) foram à Maternidade Dona Evangelina Rosa, na manhã dessa terça-feira (05/05), apurar denúncias de servidores sobre más condições de trabalho no banco de sangue da maternidade, além do corte nos vales transportes de alguns servidores e falta de Equipamentos de Proteção Individual em alguns setores.

A presidenta do SINDESPI, Geane Sousa, ressalta que o local onde funciona o banco de sangue não tem espaço para repouso para os funcionários na troca de turno.

“Como mostram as imagens, o banco de sangue funciona em dois cubículos, onde trabalham duas pessoas sem espaço adequado para o repouso, e o local em que querem coloca-las é muito distante. Se precisarem delas, ou o telefone tocar chamando de algum lugar, elas não têm como ouvir. Na troca de turno cada um dorme nesse pequeno espaço, colocando os colchões no chão ou juntam uns banquinhos para poder dormir. Cobramos para que deem condições dignas para esses profissionais trabalharem. Vivemos uma pandemia, os profissionais correm risco e ainda têm que passar por isso”, relatou.

Sobre a denúncia do corte dos vales transportes, o sindicato questionou ao setor de Recursos Humanos da maternidade, que informou ter ocorrido um erro na folha de pagamento, que já estão providenciando o ressarcimento desses vales transporte e que no próximo mês já estará normalizado. Outra reclamação dos servidores é quanto à falta de reposição de álcool gel nos recipientes que ficam disponíveis nas paredes da maternidade, além da falta de gorros de proteção para cabeça no setor de ultrassom.

Outro lado

O espaço segue aberto para esclarecimentos.

Fonte: Ascom Sindespi

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium