Quinta, 21 de Janeiro de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

28°

22° 30°

Teresina - PI

Últimas notícias
Radar Político
Radar Político
Últimas notícias, entrevistas, reportagens e análises sobre o que acontece na política.
Política Presidente
20/05/2020 09h46
Por: Bruna Sampaio

No pior dia da pandemia, Bolsonaro faz piada sobre uso da cloroquina

O uso da cloroquina foi o pivô da demissão dos dois últimos ministros da Saúde

Foto: Jorge William / Agência O Globo
Foto: Jorge William / Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante live no Facebook nessa terça-feira, que o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, irá assinar nesta quarta-feira um novo protocolo da utilização da cloroquina em pacientes com coronavírus.

De acordo com Bolsonaro, o texto vai permitir a utilização do medicamento, em qualquer paciente, a partir dos primeiros sintomas de Covid-19 e não apenas em situação de casos graves da doença, que é a recomendação atual.

O uso da cloroquina foi o pivô da demissão dos dois últimos ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, que não aceitaram expandir o uso do remédio sem que sua eficácia contra a infecção por novo coronavírus fosse comprovada.

Continua depois da publicidade

— O que é democracia? Você não quer, você não faz. Quem quiser tomar, que tome — disse o presidente, que, rindo, ainda fez uma piada: — Está vendo como eu sou educado? Quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda toma... tubaína.

A piada do presidente foi feita no pior dia da pandemia de Covid-19 no Brasil: o país registrou pela primeira vez mais de mil mortes pela doença em 24 horas, foram 1.179 entre segunda-feira e terça-feira. Na mesma live, feita com o jornalista Magno Martins, que tem um blog, o presidente voltou a minimizar os impactos do coronavírus no país.

— Parece que, no Brasil, só tem gente com problema de vírus. Tem gente com dor no peito que não vai para o hospital para não se contaminar. Acaba infartando em casa — disse, em outro momento, acrescentando que “em poucos locais, faltaram respiradores e leitos de UTIs”, problemas que já afetam as capitais com maior número de casos, como Manaus e Rio.

Continua depois da publicidade

Segundo o boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta terça-feira, 17.971 morreram por conta da infeção pelo novo coronavírus no Brasil. O total de casos confirmados é de 271.628.

Fonte: Jornal Extra
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®