Sexta, 29 de maio de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
[email protected]
86 9 9834-2372
Radar Político

Radar Político

Radar Político Últimas notícias, entrevistas, reportagens e análises sobre o que acontece na política.

[email protected]

86 9 9834-2372

Política - Ministro interino

Postada em 20/05/2020 ás 15h14

Publicada por: Bruna Sampaio

General ficará 'por muito tempo' no comando da Saúde, diz Bolsonaro
General comanda ministério de forma interina desde a saída de Nelson Teich.
General ficará 'por muito tempo' no comando da Saúde, diz Bolsonaro

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (20) que o general Eduardo Pazuello, que responde de forma interina pelo Ministério da Saúde, ficará “por muito tempo” à frente da pasta.

Ainda de acordo com o presidente, o general, que não tem formação na área de saúde, vai ser auxiliado no ministério por uma “equipe boa” de médicos.

Bolsonaro deu a declaração ao conversar com profissionais de limpeza urbana que trabalhavam em um trevo próximo ao Palácio da Alvorada, em Brasília.

General da ativa do Exército, Pazuello foi nomeado secretário-executivo do ministério – segundo cargo na hierarquia da pasta – e está como ministro de forma interina desde a semana passada, quando Nelson Teich pediu demissão.

Nesta quarta, o presidente foi perguntado na conversa com profissionais de limpeza se já havia escolhido o novo ministro da Saúde. Bolsonaro respondeu que não, e falou sobre o futuro de Pazuello.

“Ele [Pazuello] vai ficar por muito tempo, esse que está lá. Não vai mudar não. Ele é um bom gestor, vai ter uma equipe boa de médicos abaixo dele".

Pazuello foi escolhido número 2 da Saúde por sua experiência em logística, já que comandou a "Operação Acolhida", que recebe em Roraima os venezuelanos que entram no Brasil.

Cloroquina

Com Pazuello à frente da pasta, o Ministério da Saúde divulgou nesta quarta o protocolo que libera no SUS o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina até para casos leves de Covid-19. Até então, o protocolo previa os remédios para casos graves.

O documento do governo afirma que não há garantia de cura e que o medicamento pode até levar à morte; nenhuma autoridade assina protocolo.

Fonte: G1

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium