Quarta, 27 de maio de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Campanha app Governo do PI
[email protected]
86 9 9834-2372
Sexo e Prazer

Sexo e Prazer

Sexo e prazer Tudo sobre o universo sexual.

[email protected]

86 9 9834-2372

Geral - Amor e prazer

Postada em 21/05/2020 ás 12h22

Publicada por: Bruna Sampaio

Orgasmos cerebrais: o que são e saiba se já teve um
Estímulos provocam formigamento e relaxamento no corpo. Saiba mais!
Orgasmos cerebrais: o que são e saiba se já teve um

Foto: Reprodução

 Imagine algo: um dia cansativo, chega em casa e se deita no sofá. Começa a relaxar e coloca fones nos ouvidos. Nesse momento ouve alguém falando suavemente. Um sussurro, intimamente exalando respiração, que provoca arrepio em todo o corpo. Isso é o orgasmo cerebral.

Em outras palavras, é a resposta fisiológica dada para a Resposta Sensorial Meridiana Autônoma (ASMR), termo criado recentemente para explicar as sensações de formigamento e prazer causado por sussurros, movimentos ou barulhos. 

Nos últimos dois anos, muitos espectadores têm praticado o ASMR por meio de vídeos no YouTube, onde pessoas são capazes de utilizar uma variedade de estímulos visuais e auditivos que provocam sensações como formigamento no topo da cabeça que se estendem pelo pescoço, costas e braços, em resposta a uma variedade de gatilhos, frequentemente acompanhada de sentimentos de calma e relaxamento.  Os vídeos passaram a ser produzidos, visualizados e compartilhados pelo mundo tudo com o objetivo de induzir essa sensação e até mesmo combater insônias e ansiedade.

Segundo a psicóloga Mayara Luciana, ainda não há uma explicação embasada em estudos que expliquem porque os estímulos provocam uma sensação semelhante ao prazer. No entanto, pode ser semelhante a sinestesia, distúrbio neurológico em que as conexões sensoriais (visão, olfato, paladar, audição e tato) se misturam, fazendo com que os estímulos a um sentido desencadeiem outro. Por exemplo, uma pessoa sinesteta pode ouvir cores, sentir o gosto das formas e cheirar os números.

“Vale ressaltar que o ASMR é uma sensação formigante e agradável específica para alguns indivíduos. Ela possui um perfil fisiológico distinto. Diferentemente de experiências emocionais semelhantes, como arrepios ao se escutar música e adentrar em cenários inspiradores, as bases psicológicas e fisiológicas da ASMR ainda não foram estabelecidas e são pouco estudadas. No entanto, parece ser bastante semelhante à experiência da sinestesia, havendo uma mistura de sentidos”, destacou a psicóloga. 

Mayara ressaltou que seriam necessárias pesquisas futuras para determinar até que ponto os efeitos à frequência de formigamento e os estados afetivos são reais, para discriminar se não passam de mera expectativa e familiaridade ao estímulo.

Apesar de ser denominado como orgasmos cerebrais o ASMR não está diretamente ligado ao sexo e pode ser alcançado por homens e mulheres como explica a sexóloga, Gabriela Dias.

“Os estímulos que provocam essas sensações podem ser tão variados chegando a ser perfeitamente compreensível quando falamos que essas respostas vão além do formigamento, podendo ser um estado de felicidade plena, algo quase hipnótico, originado por um sussurro sexy, no entanto não é necessário que exista um parceiro nem tão pouco um orgasmo como o que muitos estão acostumados”, esclareceu.

Benefícios

Apesar de existirem poucos estudos voltados para a prática um estudo do Departamento de Psicologia da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, monitorou as reações de voluntários que assistiram a vídeos comuns e de ASMR, o resultado foi que as pessoas que assistiram ao conteúdo da sigla tiveram suas frequências cardíacas reduzidas de forma significativa e ainda se mostraram mais relaxadas e com maior alcance de pensamentos positivos.

Segundo a psicóloga, com base em relatos compartilhamos por praticantes, a prática da ASMR pode trazer benefícios terapêuticos para a saúde mental e física, proporcionando assim o relaxamento e bem-estar. 

“Estudos sugerem que isso ocorra com a prática, podendo ser um regulador das emoções, com melhorias temporárias nos sintomas de depressão, estresse e dor crônica naqueles que a fazem, mediante redução da frequência cardíaca, promovendo sentimentos de afeto e conexão interpessoal”, afirmou Mayara. 

Como ter um orgasmo cerebral?

Segundo a sexóloga, a sensação de bem-estar pode ser atingida pelos sons sequenciais de pessoas estourando um pedaço de plástico bolha, fazendo uma refeição, falando baixinho ou cortando barras de sabonetes coloridos.

“A resposta pode ser provocada por diversos estímulos ou gatilhos, como costumam chamar os praticantes de ASMR, entre eles estão gatilhos sonoros, visuais, olfativos ou mesmo cognitivos. A prática bem fazendo tanto sucesso, desde que surgiu, que há diversos canais que se dedicam somente à produção de vídeos com o propósito de favorecer o ‘orgasmo cerebral’ e para atingir esse objetivo os  streamers, pessoas que produzem os conteúdos, capricham na criatividade. Algumas publicações chegam a ser cômicas para quem não sente nada mas pode provocar boas sensações a muitos”, explicou Dias. 

Uma pesquisa realizada pela Universidade Swansea, no Reino Unido, classificou que 75% das sensações prazerosas ocasionadas pelo ASMR são por sussurros, 69% por atenção pessoal, 64% por sons nítidos como bater as unhas em objetos ou arranha-los, dentro do ranking há também sons de sorriso ocupando sexta posição com 13%. 

Para descobrir se você é adapto ao ASMR basta entrar no YouTube e pesquisar pela sigla, atualmente estima se que milhões de pessoas consumam o conteúdo apenas na plataforma de vídeos.

Fonte: emtempo

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium