Sábado, 27 de Novembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

31°

24° 35°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Maternidade
R10 Maternidade
Acompanhe as principais notícias sobre Maternidade.
Geral Maternidade
26/05/2020 12h05
Por: Marina Sousa

Como deve ser feita a introdução alimentar do bebê: Como começar?

A introdução alimentar é um momento importante para o bebê e que gera muitas dúvidas aos pais. O assunto é bastante simples, portanto, nada de ficar de cabelo em pé!

Os receios, em especial entre mamães de primeira viagem, estão relacionados a aceitação dos alimentos por parte do bebê, os efeitos no organismo dele e também se o momento é o correto para iniciar essa fase tão importante.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fique tranquila. Vamos esclarecer dúvidas sobre a introdução alimentar.

Introdução alimentar a partir dos seis meses

Há quem diga que pode iniciar antes, porém, o corpo do bebê só conta com a formação suficiente para processar os alimentos a partir do sexto mês completo.

Antes disso, o organismo não está preparado para receber os alimentos sólidos complementares à sua dieta. Órgãos como o estômago e o intestino ainda estão amadurecendo para digerir e processar essa alimentação. Por isso, recomendo exclusivamente o aleitamento materno até os seis meses.

A mãe que por algum motivo não amamenta deve manter o seu filho na dieta com a fórmula receitada pelo pediatra até o sexto mês. Lembrando que, a amamentação é de grande relevância e orientada pelos mais importantes órgãos de saúde mundiais.

Como oferecer os alimentos?

Uma dúvida frequente sobre a introdução alimentar diz respeito à maneira de oferecer os alimentos à criança. Não é necessário usar liquidificador, processador nem peneira. Basta amassar os alimentos com a colher mesmo. Lembre-se que a quantidade é pequena.

Comece oferecendo uma fruta por dia. O bebê está descobrindo esses sabores, portanto, pode dar em quantidade pequena como um café da manhã. Ofereça cada dia uma fruta diferente durante uma semana, de preferência no mesmo horário.

Na segunda semana, você pode inserir uma papinha com componentes de diferentes grupos alimentares (proteínas, carboidratos, etc) como um pequeno almoço. Na terceira semana, é interessante inserir a fruta também na parte da tarde.

A partir da quarta semana, essa papinha que já faz parte do cotidiano do bebê durante o almoço pode entrar na hora do jantar. Essa transição para a introdução alimentar deve sempre ser acompanhada do aleitamento materno, já que os alimentos sólidos são complementares nessa fase.

Também não é recomendável oferecer à criança alimentos em forma de suco. Diferente do que muitas mamães pensam, osuco natural não é saudável para a criança. Ao ingerir um suco, açúcar da fruta adentra o organismo isolado e não é metabolizado pelo fígado, o que sobrecarrega o sistema hepático que na criança ainda está se formando.

O objetivo é educar o paladar da criança para que, a partir de um ano de idade, ela possa consumir a alimentação da família. Não devem ser usados sal e açúcar no preparo dos alimentos, pois esses ingredientes mascaram o real sabor dos alimentos.

Veja o esquema alimentar recomendado pelo Ministério da Saúde para crianças amamentadas:

Veja o esquema alimentar recomendado pelo Ministério da Saúde para crianças não amamentadas:*

* Atenção: No caso de crianças que não são amamentadas, o ideal é buscar orientação médica para tirar dúvidas e saber quando dar início à introdução alimentar de forma personalizada.

Fonte: Andreia Friques
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp