Terça, 07 de julho de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Banner Governo Junho
[email protected]
86 9 9834-2372
Radar Político

Radar Político

Radar Político Últimas notícias, entrevistas, reportagens e análises sobre o que acontece na política.

[email protected]

86 9 9834-2372

Política - Pedido

Postada em 02/06/2020 ás 09h34

Publicada por: Francine Dutra

Celso de Mello arquiva pedido de apreensão de celular de Bolsonaro
Solicitação, feita por partidos, tem base nas investigações sobre a possível interferência na PF.
Celso de Mello arquiva pedido de apreensão de celular de Bolsonaro

Foto: Reprodução

O ministro Supremo Tribunal Federal Celso de Mello rejeitou nessa segunda-feira (1°) o pedido de partidos políticos para apreender o celular do presidente Jair Bolsonaro.

A solicitação, feita pelo PDT, PSB e PV, tem base nas investigações sobre possível interferência do presidente na Polícia Federal.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, já tinha se manifestado contra a apreensão do aparelho. Aras argumentou que, como a investigação é competência do Ministério Público Federal, não cabe intervenção de terceiros no processo.

Bolsonaro afirmou no dia 22 de maio, em entrevista à rádio Jovem Pan, que “jamais” entregaria o próprio celular em caso de uma determinação judicial. Segundo Bolsonaro, só se ele fosse 1 “rato”.

Em sua decisão, o ministro alertou o presidente que descumprir ordem judicial implica “transgredir a própria Constituição da República”.

“Contestar decisões judiciais por meio de recursos ou de instrumentos processuais idôneos, sim; desrespeitá-las por ato de puro arbítrio ou de expedientes marginais, jamais”, escreveu.

O decano (mais velho) do STF citou em seu despacho uma advertência do deputado federal Ulysses Guimarães no discurso em que encerrou a Assembleia Constituinte, em 1988.

“A Constituição certamente não é perfeita. Ela própria o confessa ao admitir a reforma. Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca”, disse o deputado. “Traidor da Constituição é traidor da Pátria.”

Para Celso de Mello, o Brasil enfrenta gravíssimos desafios. Afirmou que o Supremo é atento à “sua alta responsabilidade”.

“Não transigirá nem renunciará ao desempenho isento e impessoal da jurisdição, fazendo sempre prevalecer os valores fundantes da ordem democrática e prestando incondicional reverência ao primado da Constituição, ao império das leis e à superioridade político-jurídica das ideias que informam e que animam o espírito da República”, escreveu.

Fonte: Poder 360

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium