Quarta, 08 de julho de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
[email protected]
86 9 9834-2372
R10 Pet

R10 Pet

R10 Pet Tudo sobre o mundo dos pets.

[email protected]

86 9 9834-2372

Geral - Contato

Postada em 02/06/2020 ás 11h22 - atualizada em 02/06/2020 ás 12h02

Publicada por: Francine Dutra

Saiba como acostumar seu gato com um bebê humano
'Preparar o terreno' durante a gestação é imprescindível para evitar ciúmes do pet.
Saiba como acostumar seu gato com um bebê humano

Foto: Reprodução

A chegada de um bebê na família é um momento que gera muitas expectativas, ansiedades e também uma série de preocupações. Uma delas, para quem tem um ou mais gatos em casa, é o inevitável desassossego: será que o pet e o bebê vão se dar bem?

Para que o entrosamento da dupla seja rápido e a convivência tranquila, é necessário que você tome algumas medidas que prepararem o felino para uma nova realidade – que impactará bastante sua rotina. Lembre-se que os bichinhos são muito sensíveis a mudanças, pois elas geram uma grande sensação de insegurança.

“Preparar o terreno” durante a gestação é imprescindível para cumprir bem a missão. Então, à medida do possível, adapte a rotina do gato, de forma gradual, para que ele comece a vivenciar a nova rotina da casa, mesmo antes da chegada do recém-nascido. Por exemplo, se ele está acostumado a receber o café da manhã logo quando você acorda, que tal já começar a dar uma caminhada com o bichano pela casa antes de colocar a ração no potinho?

Se no seu planejamento a caminha e a caixa de areia do pet também precisarão ser realocadas, não deixe para fazer isso na última hora. Comece trocando de lugar a caixa de areia e, quando o bichinho já estiver acostumado, leve a caminha para o novo local. Fazendo esses ajustes paulatinamente, seu gato tem tudo para superar as novidades mais relaxado e feliz.

Avise o bichano

Muitas pessoas ficam chateadas quando o felino acaba não recebendo tão bem o herdeiro(a) da família. Mas será que o pet também recebeu a notícia que a família iria aumentar? Um rápido exercício de imaginação ajuda a entender certos comportamentos do peludinho.

Fantasie que você é um gato e que até há bem pouco tempo você tinha uma casa e humanos para chamar de seus. Com seu olhar felino você bem notou que nos últimos tempos o casal ficou mais sorridente, que encomendas não paravam de chegar – inclusive, você ficou amarradão nas caixas de papelão – e que a barriga feminina não parava de crescer, mas na sua cabeça de gato passava um monte de coisas, menos que um novo humano (pequenino) chegaria fazendo tudo mudar de lugar e recebendo todas as atenções.

Se você estivesse no lugar do pet não seria nenhum absurdo agir com certa dose de rebeldia, certo? Por isso, avise o seu gato que a família em pouco tempo ficará maior. Caso não tenha o “gaitês” fluente, acostume o bichano com sons de bebês (vídeos do Youtube) e use loção para os bebês antes de acariciar o seu peludinho, que passará o associar o futuro aroma do bebê a uma sensação agradável.

Não esconda a criança

Se vale a máxima de que a “primeira impressão é a que fica”, capriche para que a primeira troca de olhar da dupla seja mágica.

O cenário ideal é o seguinte: ao chegar da maternidade, peça para alguém ficar com o bebê do lado de fora da casa, enquanto você entra e dedica um tempo ao bichano, que deve estar cheio de saudade. Ao final da sessão de carinhos, na qual o felino já vai conseguir sentir um pouco o cheiro do bebê que ficou em você, traga a criança para o ambiente e permita que o gato tenha contato com ela, começando pelos pés. Elogios e afagos nesse momento deixam o pet mais confiante e feliz.

Não esqueça do gato

A mudança na rotina da família é inevitável e o pet terá que aprender a dividir a atenção e uma nova realidade de sons e aromas. O que não pode acontecer, é colocar o gato totalmente para escanteio e lembrar dele só na hora de servir a ração.

Combine com a família como ficarão as “tarefas felinas” e as distribua, de modo que o bichinho fique bem assistido e não tenha motivos para reclamar. Tomando medidas preventivas, sem mudanças bruscas e não esquecendo que o gato é um membro da família, independentemente do tamanho que ela tenha, você abre caminho para que bebê e gato adaptem-se com facilidade e se tornem bons parceiros.

Lembrando sempre que toda interação entre crianças (de qualquer idade) e animais deve ser supervisionada para segurança e bem-estar de ambos.

Fonte: PetLove

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium