Domingo, 18 de agosto de 2019
(86) 99915-1055
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Equatorial - Energia
Geral - Pesquisa

Postada em 23/02/2018 ás 10h44 - atualizada em 23/02/2018 ás 11h51

Publicada por: Bruna Sampaio

IBGE aponta que falta trabalho para 26,4 milhões de brasileiros
Esse número representa os trabalhadores subutilizados no país.
IBGE aponta que falta trabalho para 26,4 milhões de brasileiros

Foto: Reprodução

Faltava trabalho para cerca de 26,4 milhões de brasileiros no quarto trimestre de 2017, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) trimestral divulgada nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Esse número representa os trabalhadores subutilizados no país, grupo que reúne pessoas que poderiam trabalhar, mas estão desocupadas, e aqueles que trabalham menos de 40 horas semanais.

O índice de subutilização atingiu 23,6% da força de trabalho no quarto trimestre de 2017, uma queda em relação trimestre anterior, de 23,9%, mas ainda acima do registrado no mesmo período do ano passado, de 22,2%.

Entre as unidades da Federação, no 4º trimestre de 2017, o Piauí (40,7%), a Bahia (37,7%), Alagoas (36,5%) e Maranhão (35,8%) apresentaram as maiores taxas de subutilização da força de trabalho e as menores taxas foram em Santa Catarina (10,7%), Mato Grosso (14,3%), Rio Grande do Sul (15,5%) e Rondônia (15,8%).

Desempregados

A taxa de desemprego vem caindo no Brasil ficou em 11,8% no quarto trimestre do ano, 0,6 ponto percentual abaixo dos valores registrados três meses antes. Cerca de 12,3 milhões de brasileiros estavam desocupados no fim do ano.

Subocupados 

A taxa de subocupados no quarto trimestre foi de 18%, abaixo do registrado no trimestre anterior (18,5%), mas ainda acima do que patamar do quarto trimestre do ano anterior (17,2%).

Força de trabalho potencial 

Aqueles trabalhadores que desistiram de procurar emprego deixam de fazer parte da população desempregada do país e passam a compor o que o IBGE classifica como "desalento". Ou seja, alguém que pode e quer trabalhar, mas não procurou emprego nos últimos 30 dias.

De acordo com o G1, o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo explicou que o desalento está diretamente relacionado ao desemprego. “Se a desocupação está alta, o desalento também fica alto. A pessoa desalentada acha que é muito nova ou muito velha para trabalhar, ou que não tem experiência, ou acha que não tem vaga. Ela ouve falar tanto em desemprego, que fica desestimulada a procurar emprego”.

 

 

 
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Campo Largo-PI Por Roberto Freitas

Carnaúbas vence e consegue última vaga pra final do campolargoense 2019

Campo Maior Por Wellington Siqueira

Prefeito de Campo Maior decreta luto oficial após falecimento de vereador

Barra D'alcântara Por Cleiton Brito

Secretaria de Saúde de Barra D'Alcântara promove curso na atenção básica

Cabeceiras do Piauí Por Francisco Rocha

Prefeito José Joaquim admite retirada do muro do açude em Cabeceiras

São João da Serra Por Cosme Jales

Alunos do curso agro-florestal recebem certificados no Lago dos Gaviões

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium