Terça, 23 de outubro de 2018
(86) 99915-1055
Geral - Pesquisa

Postada em 23/02/2018 ás 10h44 - atualizada em 23/02/2018 ás 11h51

Publicada por: Bruna Dias

IBGE aponta que falta trabalho para 26,4 milhões de brasileiros
Esse número representa os trabalhadores subutilizados no país.
IBGE aponta que falta trabalho para 26,4 milhões de brasileiros

Foto: Reprodução

Faltava trabalho para cerca de 26,4 milhões de brasileiros no quarto trimestre de 2017, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) trimestral divulgada nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Esse número representa os trabalhadores subutilizados no país, grupo que reúne pessoas que poderiam trabalhar, mas estão desocupadas, e aqueles que trabalham menos de 40 horas semanais.

O índice de subutilização atingiu 23,6% da força de trabalho no quarto trimestre de 2017, uma queda em relação trimestre anterior, de 23,9%, mas ainda acima do registrado no mesmo período do ano passado, de 22,2%.

Entre as unidades da Federação, no 4º trimestre de 2017, o Piauí (40,7%), a Bahia (37,7%), Alagoas (36,5%) e Maranhão (35,8%) apresentaram as maiores taxas de subutilização da força de trabalho e as menores taxas foram em Santa Catarina (10,7%), Mato Grosso (14,3%), Rio Grande do Sul (15,5%) e Rondônia (15,8%).

Desempregados

A taxa de desemprego vem caindo no Brasil ficou em 11,8% no quarto trimestre do ano, 0,6 ponto percentual abaixo dos valores registrados três meses antes. Cerca de 12,3 milhões de brasileiros estavam desocupados no fim do ano.

Subocupados 

A taxa de subocupados no quarto trimestre foi de 18%, abaixo do registrado no trimestre anterior (18,5%), mas ainda acima do que patamar do quarto trimestre do ano anterior (17,2%).

Força de trabalho potencial 

Aqueles trabalhadores que desistiram de procurar emprego deixam de fazer parte da população desempregada do país e passam a compor o que o IBGE classifica como "desalento". Ou seja, alguém que pode e quer trabalhar, mas não procurou emprego nos últimos 30 dias.

De acordo com o G1, o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo explicou que o desalento está diretamente relacionado ao desemprego. “Se a desocupação está alta, o desalento também fica alto. A pessoa desalentada acha que é muito nova ou muito velha para trabalhar, ou que não tem experiência, ou acha que não tem vaga. Ela ouve falar tanto em desemprego, que fica desestimulada a procurar emprego”.

 

 

 
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

Lagoa de São Francisco Por Celso Oliveira

Prefeito esclarece denúncias

Campo Maior Por Wellington Siqueira

Prefeito Professor Ribinha entrega instalações e equipamentos para a saúde

Água Branca-PI Por Lenno Oliveira

Prefeitura de Água Branca convida beneficiários do Bolsa Família

Pau D'arco Por Ântonia da Costa

Secretaria de Assistência Social realiza entrega de enxoval para gestantes

Agricolândia-PI Por Gilberto Alencar

TCE bloqueia precatórios do Fundef de Agricolândia e mais 27 cidades

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium