Segunda, 10 de agosto de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
[email protected]
86 9 9834-2372
R10 Pet

R10 Pet

R10 Pet Tudo sobre o mundo dos pets.

[email protected]

86 9 9834-2372

Entretenimento - Cuidados

Postada em 16/06/2020 ás 11h55

Publicada por: Francine Dutra

Confira quais exames não podem ficar de fora dos check-ups do seu gato
Os felinos necessitam de um cuidado maior com a saúde renal e hepática.
Confira quais exames não podem ficar de fora dos check-ups do seu gato

Foto: Reprodução/PetLove

Ter um pet em casa é a chance de uma vida com mais amor, carinho, alegria e que também traz consigo algumas responsabilidades. A principal delas diz respeito ao cuidado com a saúde dos animais, por isso, quem tem um gato em casa não pode abrir mão dos check-ups periódicos.

O médico veterinário Guilherme Miranda, explica que os exames que costuma pedir para os felinos são bem parecidos com os dos caninos, com a diferença que os gatos necessitam de um cuidado maior com a saúde renal e hepática.

Miranda também conta que antes de levar um novo gatinho para casa, é fundamental submetê-lo aos exames de FIV (a “AIDS felina”) e a FeLV (Leucemia Felina), pois as retroviroses são contagiosas e podem colocar em risco a vida de outros gatos que morem na residência.

Veja as recomendações de exames de acordo com a faixa etária do seu peludinho:

- A partir do primeiro ano: hemograma, avaliação da função renal (ureia e creatinina), avaliação da função hepática (LT, FA, proteína, AST, GGT, triglicérides e colesterol) e glicemia.

- A partir de cinco anos: todos citados acima, lembrando sempre de fazer uma boa avaliação renal e hepática + raio-x de tórax, ultrassom abdominal e ecocardiograma.

- A partir dos oito anos: todos citados + avaliação da função renal e hepática a cada seis meses.

“A doença renal é mais comum a medida que o gato vai envelhecendo. Exame de ultrassom é sempre indicado, verificando a parte intestinal para ver se não tem nenhuma inflamação, linfoma ou rins policísticos, complicações essas que podem surgir com o avançar da idade”, explica Miranda.

O veterinário também lembra que os animais obesos merecem cuidados adicionais, por exemplo, dosar a glicemia, a T4, que é a tireoide e avaliar a possibilidade de um problema endócrino. Outra dica importante é ficar atento às mudanças de comportamento. “Muitas pessoas acham legal quando o gato passa a beber muita água e faz muito xixi, mas é preciso cuidado pois podem ser indicativos de diabetes”, finaliza.

Fonte: PetLove

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium