Quinta, 27 de Janeiro de 2022
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

27°

23° 32°

Teresina - PI

Últimas notícias
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília
FOCO NA POLÍTICA - Direto de Brasília
Jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS.
Política Resumo do dia
22/06/2020 21h24
Por: Jornalista Milton Atanazio

Segunda-feira, 22 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques

 PGR diz que deputados usaram dinheiro público para divulgar atos antidemocráticos, e Moraes vê 'real possibilidade' de associação criminosa. Ex-advogado de Cabral vai defender Flávio Bolsonaro no inquérito das 'rachadinhas'. Mais de 51 mil mortos por coronavírus no Brasil. E a OMS diz que o ritmo de contágio continua acelerando.

Inquérito no STF

Os deputados bolsonaristas General Girão (PSL-RN), Bia Kicis (PSL-DF), Guiga Peixoto (PSL-SP) e Aline Sleutjes (PSL-PR) — Foto: Montagem/G1

Os deputados bolsonaristas General Girão (PSL-RN), Bia Kicis (PSL-DF), Guiga Peixoto (PSL-SP) e Aline Sleutjes (PSL-PR) — Foto: Montagem/G1

Investigações da Procuradoria-Geral da República apontam que quatro deputados federais do PSL, aliados do presidente Jair Bolsonaro, fizeram repasses de mais de R$ 30 mil para divulgar atos antidemocráticos. O dinheiro era da cota parlamentar, verba pública que deveria ser usada para atividades ligadas ao mandato.

Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado
Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado

Os parlamentares são Bia Kicis (DF), Guiga Peixoto (SP), Aline Sleutjes (PR) e General Girão (RN). Os valores foram destinados à empresa que pertence ao publicitário Sérgio Lima, responsável pela marca do Aliança pelo Brasil, partido que Bolsonaro pretende criar.

Associação criminosa

O ministro do STF Alexandre de Moraes afirmou na decisão da semana passada que autorizou buscas e a quebra de sigilo de parlamentares, empresários e blogueiros que vê "real possibilidade" de associação criminosa nos atos antidemocráticos.

Treinamento paramilitar

Uma investigação paralela da Polícia Civil do Distrito Federal chegou a um grupo extremista de apoio ao presidente que seria financiado pelo empresário André Luís Bastos de Paula Costa. Segundo o delegado Leonardo Castro, o grupo usava uma chácara de Costa para treinamento paramilitar.

Caso Queiroz

O ex-advogado de Sérgio Cabral, Rodrigo Roca, assumiu a defesa do senador Flávio Bolsonaro no inquérito que apura o esquema de 'rachadinhas' na Alerj. O anúncio foi feito após a saída do advogado Frederick Wassef, dono da casa em Atibaia (SP) onde Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, foi preso.

Coronavírus no Brasil

Faixa com a frase: "50 mil brasileiros mortos, não é só uma gripezinha" é vista pendurada no Viaduto do Chá, no centro de São Paulo (SP), nesta segunda-feira (22). — Foto: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Faixa com a frase: "50 mil brasileiros mortos, não é só uma gripezinha" é vista pendurada no Viaduto do Chá, no centro de São Paulo (SP), nesta segunda-feira (22). — Foto: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Sequelas da pandemia

Os efeitos do coronavírus 'serão sentidos por décadas', afirmou o diretor-geral da OMS nesta segunda-feira. Um milhão de casos foram registrados no mundo em apenas oito dias, e ontem houve um recorde de novas infecções diárias — o maior número veio do Brasil. 'A pandemia é muito mais do que uma crise de saúde, é uma crise econômica, social e, em muitos países, política', disse Tedros Adhanom Ghebreyesus. Já são mais de nove milhões de casos de Covid-19 no mundo.

Na linha de frente

episódio #214 do podcast O Assunto mostra a rotina do médico Alboino Lucena, que se divide em cinco UTIs no Ceará, estado do Nordeste com mais casos e mortes por coronavírus. Em tempo real, ele narra o atendimento a pacientes com a doença e fala sobre seus medos e preocupações.

'Novo normal'

22 de junho - Minions são vistos em cadeiras de cinema para manter o distanciamento social entre os espectadores, no cinema MK2, em Paris, na França — Foto: Benoit Tessier/Reuters

22 de junho - Minions são vistos em cadeiras de cinema para manter o distanciamento social entre os espectadores, no cinema MK2, em Paris, na França — Foto: Benoit Tessier/Reuters

Um cinema em Paris usou bonecos do personagem minion para manter distanciamento entre as pessoas na plateia. Já em Toronto, praticantes de ioga fizeram uma aula dentro de bolhas. E no Japão, as casas de karaokê, superpopularers no país, reabriram — mas a diversão agora está controlada. Fotos mostram como o novo coronavírus está transformando hábitos e cidades pelo mundo.

Violência policial

Um vídeo mostra um jovem de 19 anos desmaiando após ser estrangulado duas vezes por um policial durante uma abordagem em Carapicuíba, São Paulo, no domingo. A PM diz que o rapaz reagiu; ele nega. Os agentes foram afastados. Na capital, policiais são investigados por atirar bala de borracha na boca de um ambulante. E uma outra gravação mostra oficiais agredindo uma mulher. Após os casos de violência, o governador João Doria disse que a PM será retreinada, e falou em instalar câmeras nos uniformes.

Última canetada

O ministro do STF Gilmar Mendes deu 48 horas para que o governo se manifeste sobre a portaria que revoga a política de cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação. A revogação aconteceu na última quinta, horas antes do então ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciar a saída do cargo. Partidos entraram com ações, argumentando que a portaria de Weintraub viola preceitos constitucionais.

Movimento antirracistaEstátua equestre de Theodore Roosevelt na entrada do Museu de História Natural em Nova York — Foto: Reprodução/Google

Estátua equestre de Theodore Roosevelt na entrada do Museu de História Natural em Nova York — Foto: Reprodução/Google 

O Museu de História Natural de Nova York vai retirar a estátua do ex-presidente americano Theodore Roosevelt de sua entrada principal. A decisão acontece após as manifestações antirracistas nos EUA e uma campanha nacional contra monumentos históricos considerados racistas. A escultura de Roosevelt — que foi presidente de 1901 a 1909 —, com um negro e um indígena ao lado, simboliza, para muitos, o colonialismo e a discriminação racial.

Economia menor

9,3% foi a retração da economia brasileira em abril, em comparação com março, segundo dados do Monitor do PIB-FGV divulgados pela Fundação Getúlio Vargas nesta segunda-feira. Se comparada com abril do ano passado, a queda foi de 13,5%. É o pior número da história recente.

 
Fonte: G1
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp