Terça, 22 de setembro de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Governo Setembro 3
[email protected]
86 9 9834-2372
R10 Utilidade Pública

R10 Utilidade Pública

Utilidade pública Tudo sobre utilidade pública.

[email protected]

86 9 9834-2372

Piauí - Redução

Postada em 15/07/2020 ás 09h41

Publicada por: Bruna Sampaio

Risco epidemiológico da covid-19 reduz na maioria dos territórios do Piauí
O levantamento é feito com base nos índices de propagação da doença.
Risco epidemiológico da covid-19 reduz na maioria dos territórios do Piauí

Foto: Divulgação

O risco epidemiológico para a Covid-19 passou de alto para médio na maioria dos territórios assistenciais do Piauí, delimitados de acordo com a estrutura da rede de saúde pública estadual. A informação foi levantada após análise do relatório epidemiológico desenvolvido pelo Comitê de Operações Emergenciais (COE) do Governo do Estado. O levantamento é feito com base nos índices de propagação da doença e nos índices de capacidade de atendimento, variáveis que são calculadas aos domingos.

A análise feita no dia 12 de julho, aponta que os territórios dos municípios polos de Parnaíba, Teresina, Oeiras e Picos passaram de alto risco para médio risco. São eles: Planície Litorânea, Entre Rios, Carnaubais, Vale do Sambito, Vale do Canindé, Vale do Rio Guaribas e Chapada Vale do Rio Itaim.

Os territórios do Vale dos Rios Piauí e Itaueiras e Tabuleiros do Alto Parnaíba, que tem Floriano como município polo, além do território Serra da Capivara, cujo município polo é São Raimundo Nonato, ainda se saíram melhor, com risco médio/baixo. Já Cocais e Chapada das Mangabeiras, que tem como municípios polos Piripiri e Bom Jesus, continuam sendo de risco alto.

“O risco está sendo calculado desde o mês de junho em cima de três variáveis que avaliam a propagação da doença e três delas avaliam a capacidade de atendimento do sistema. O objetivo é calcular esses parâmetros antes da reabertura das atividades econômicas em cada uma dessas regiões. Os dados ficam à disposição do Estado para auxiliar nas avaliações e tomadas de decisão quanto a reabertura de cada um dos segmentos econômicos já estabelecidos pelo Governo do Estado”, explica o médico intensivista, assessor técnico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e membro do COE, Bruno Ribeiro.

O índice de propagação da doença é calculado por meio do número de casos novos, de internações e de óbitos nas duas semanas anteriores. Já o índice de capacidade de atendimento leva em conta a porcentagem de leitos Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) livres, de leitos clínicos destinados para covid-19, não ocupados, e do número de leitos com respirador por 100 mil habitantes. Dessa forma, é obtido o cálculo que determina se a região possui risco baixo, risco médio/baixo, risco médio ou risco alto.

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium