Segunda, 25 de Outubro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

36°

25° 35°

Teresina - PI

Últimas notícias
Blog do Lucão
Blog do Lucão Fique por dentro de tudo que acontece na região.
Cidades Polícia
22/07/2020 13h24 Atualizada há 1 ano
Por: Blog do Lucão

Delegacia de Homicídios de Timon investiga crime no 'Joaquim Pedreira'

A Delegacia Regional de Homicídios de Timon ( DRH), investiga um homicídio ocorrido , na rua 5, do conjunto Joaquim Pedreira,  por volta das 02h30, madrugada desta quarta-feira(22/07).

A vítima Stanley tinha 29 anos

Delegacia de Homicídios de Timon investiga crime no 'Joaquim Pedreira'

A vítima foi Stanlley Welson Azevedo de Britto, 29 anos. O jovem era empresário, além de motorista de UBER e instrutor de tiro.

No local foram apreendidos uma arma de fogo,  pistola .40, registrada em nome da vítima e um veículo GOLF de propriedade de Stanlley.

O autor dos disparos se apresentou na Central de Flagrantes de Timon. Trata-se de um soldado da Polícia Militar do Maranhão, de 32 anos lotado no 11º BPM, na ação a autoridade policial tomou a termo suas declarações e em seguida foi liberado.

A Delegacia de Homicídios foi comunicada e ficará responsável pelo caso.

Nas primeiras diligências verificou-se que a vítima não efetuou disparos, uma vez que não foram coletados estojos de calibre .40 no local do crime pela perícia.

De acordo com informações, o policial militar utilizou uma pistola 380, e se recusou a entregar a arma aos policiais. A perícia localizou 6 estojos de calibre 380 no local do crime.

Conforme primeiras diligências, o policial estaria dando uma festa particular em sua residência (local do crime) e a vítima teria chegado com acompanhado por uma mulher.

Segundo a versão do policial, que se apresentou como autor dos disparos, a vítima teria ido deixar drogas, e teria entrado em discussão com o PM. Essas informações ainda serão apuradas pela DH, já que a vítima não possui antecedentes criminais.

Além de se recusar a entregar a arma para realização da perícia, o policial se negou a informar o nome e endereço das testemunhas que estavam com ele no momento do ocorrido, apenas citou o nome de um amigo que não tem o contato.

Não foram encontrados drogas nem vestígios no veículo.

PUBLICIDADE:

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp