Sexta, 24 de Setembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

33°

24° 37°

Teresina - PI

Últimas notícias
Esportes
Esportes
Tudo sobre esportes no Piauí, Brasil e no Mundo.
Esportes Início desastroso
13/08/2020 11h47
Por: Cristina

Flamengo tem seu pior inicio de brasileirão da história

Duas derrotas e nenhum gol marcado nas duas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro era inédito na história rubro-negra. Desde 1959, a única edição em que o Flamengo começou com duas derrotas foi a de 1997. Caiu por 3 x 2 para o Santos, no Maracanã, e 1 x 0 para o Bahia, na Fonte Nova. Fez dois gols. O atenuante é que, daquela vez, terminou na fase semifinal. As duas derrotas não comprometeram a campanha inteira.

Para que este início surpreendente negativamente não comprometa o futuro da equipe de Domenec Torrent será necessário conversar. Voltou de Goiânia para o Rio de Janeiro, sentar-se no vestiário e debater as mudanças táticas e conceituais que já começam a ser impostas.

Hyuri comemora gol do Atlético-GO Foto: Gazeta Press
Hyuri comemora gol do Atlético-GO Foto: Gazeta Press

O Flamengo de Jorge Jesus mudou de sistema tático várias vezes, mas sempre para surpreender o rival, não para se adaptar ao conceito. Domenec Torrent fez um time mais posicional, já na segunda atuação. Abriu Bruno Henrique pela esquerda, Vitinho pela direita, para ter amplitude, um dos clássicos mandamentos do jogo de posição.

Continua depois da publicidade

Seu ataque posicional divorciou Bruno Henrique e Gabriel. BH aberto à esquerda e Gabriel isolado como centroavante. No final da primeira etapa, melhorou com Bruno Henrique se aproximando de Gabigol, com Éverton Ribeiro à direita e Vitinho pela esquerda. Durou pouco.

No segundo tempo, Rafinha entrou na vaga de Gustavo Henrique e Pedro no lugar de Vitinho. Pareceu mais perto do normal, com Éverton Ribeiro à direita, Gérson pelo centro, Bruno Henrique à esquerda e a dupla Gabigol e Pedro. Durou pouco e Gabigol jogou também aberto pela direita, com Pedro centralizado, de novo no 4-2-3-1.

Mais posicional, menos brilhante. Também faltou a pressão na saída de bola. Não dá para jogar com a defesa alta, sem pressionar a saída dos zagueiros adversários. Os conceitos podem mudar, mas terão de ser mais treinados. Por enquanto, não dá para decretar o fracasso. É de se esperar a reação. Mas será necessário debater quanto o Flamengo precisa se adaptar a Domenec Torrent e quanto Domenec Torrent é que deve se moldar ao Flamengo.

Fonte: BLOG DO PVC - GE
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp