Terça, 13 de Abril de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

31°

23° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Utilidade Pública
R10 Utilidade Pública
Tudo sobre utilidade pública.
Geral Em Teresina
27/08/2020 09h01
Por: Marina Sousa

Produtores de eventos fazem manifestação para retorno das atividades

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Profissionais da área técnica de eventos, fizeram uma manifestação nesta quinta-feira (27), no centro de Teresina, eles cobraram uma definição dos protocolos de segurança para a retomada do setor ao trabalho durante a pandemia da Covid-19.

De acordo com os profissionais, a pandemia do coronavírus deixou o setor esquecido, a reivindicação do grupo é por um plano emergencial para que a categoria volte aos trabalhos. “Não diferente dos outros, nossos setores, e tão importante quando os demais para sociedade, temos um protocolo a seguir que já está preestabelecido em outros estados, que estão tendo sucesso e funcionando. O setor de eventos não é somente festa de grande porte, ele é um produto de imagem, é um casamento, é um lançamento do produto, ou seja, ele é muito vasto e existem protocolos que protegem contra isso, uma missa é um evento, por exemplo, então é preciso entender a volta do nosso setor é tão importante quanto qualquer outro serviço, além de ser um trabalho de toda equipe aqui presente e de muitos que não conseguiram vir”, disse um dos manifestantes.

“O que nós estamos pedindo aqui é que mantenham a data que foi prometida e decretada pelo Governo, no dia 08 de setembro para a normalização”, concluiu.

Continua depois da publicidade

Durante a protesto, os manifestantes levaram os cases usados nos bastidores para guardar os equipamentos para a montagem dos shows. Eles realizaram o ato com distanciamento entre os participantes, uso de máscaras de proteção e seguravam cartazes.

Questionado sobre a solução para conter a aglomeração durante os eventos, os manifestantes explicaram como seria essa nova realidade. “Os protocolos existem, nós queremos trabalhar iguais aos outros setores trabalham, como por exemplo, o comercio que é um serviço essencial que funcionou com 50% da capacidade, assim como as igrejas, ou seja, qualquer setor pode funcionar com 50% da capacidade e vamos nos organizando gradualmente até “normalizar” os serviços, a ideia é sensibilizar e mostrar que nos existimos para a sociedade e a nossa participação é mais um seguimento”.

O grupo se reuniu Avenida Frei Serafim, em frente a Igreja São Benedito.

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®