Quarta, 23 de setembro de 2020
86 9 9834-2372
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Governo Setembro 3
[email protected]
86 9 9834-2372
R10 Pet

R10 Pet

R10 Pet Tudo sobre o mundo dos pets.

[email protected]

86 9 9834-2372

Entretenimento - Confira

Postada em 02/09/2020 ás 11h14

Publicada por: Francine Dutra

Saiba os cuidados necessários para criar um periquito
Biólogo esclarece curiosidades e dúvidas sobre como criar a ave.
Saiba os cuidados necessários para criar um periquito

Foto: Reprodução

Ter um periquito pode ser uma ótima opção para quem está procurando um bichinho companheiro e muito amigável. Porém, assim como todos os outros animais, essa ave também exige cuidados exclusivos e especiais por parte do tutor para manter uma boa saúde.

Onde vivem? O que comem? Como se reproduzem? O biólogo Tiago Calil, responsável pelo treinamento do setor de aves da Cobasi, conta a seguir algumas curiosidades sobre esse a ave e esclarece as dúvidas de quem está pensando em ter um periquito como pet.

O que ter em mente sobre a criação da ave

De acordo com Tiago, periquitos são animais muito tranquilos de criar. Por eles serem muito sociáveis o recomendado é ter um casal de aves por gaiola. Esta precisa ser espaçosa o suficiente para que ambos os animais batam as asas e se movimentem livremente.

Outra recomendação é ter muitos brinquedos, como talos de madeira e balanço (eles amam). A manutenção diária do ambiente também é muito fácil, basta trocar a forração do fundo da gaiola, trocar a comida, lavar o bebedouro e repor a água filtrada. São animais que chegam a viver mais de 15 anos e estão entre as aves mais bem adaptadas em ambiente doméstico.

A hora da compra do animal

Na hora de comprar, é mais recomendado que você opte por animais jovens, que são mais fáceis de amansar. Também é necessário prestar atenção se a ave apresenta todas as suas características comportamentais. Por ser diurna, deve estar ativa, cantando, comendo, bebendo água, brincando com os companheiros da gaiola e com as penas rentes ao corpo.

Portanto, antes de comprar o periquito, dedique um tempinho observando os animais da gaiola. Animais isolados em um canto, com as penas eriçadas por muito tempo geralmente é sinal de que há algo de errado.

Como funciona a reprodução?

Sua reprodução é muito fácil. Basta ter um casal maduro (já todo formado), uma gaiola equipada com um ninho para periquitos e uma alimentação bem diversificada. Com esses cuidados, naturalmente a reprodução ocorrerá. Ambos os sexos cuidam da prole. Após a postura, os pais chocam os ovos por cerca de 20 dias.

Ao nascer, os filhotes estão totalmente pelados com os olhos ainda fechados. Neste período, são alimentados através do bico dos pais, que armazenam uma espécie de papa na moela, e regurgitam esses alimento para os filhotes. Em pouco tempo os pequenos começam a se aventurar fora do ninho e se alimentar com a mesma comida dos adultos.

Como saber se é macho ou fêmea?

É possível perceber seu sexo através de uma estrutura localizada acima do bico, a carúncula. Quando adultos a carúncula do macho se torna azul e a da fêmea, marrom. Quando filhotes ou jovens essa visualização é mais difícil, pois as cores da carúncula ainda não foram definida.

Atenção na convivência com outros animais

Os periquitos são animais que podem conviver bem com indivíduos da outra espécie. Porém, por se tratar de um animal pequeno, normalmente acaba sendo alvo de outros tipos de pets. Isso acontece principalmente quando falamos de cães e gatos. Esses animais possuem o instinto de predadores e uma mordida ou patada, mesmo que por brincadeira, pode ser fatal. Portanto, Tiago Calil recomenda muita cautela com esse fator.

Os periquitos podem falar?

Por pertencerem a família "Psittacidae", naturalmente os periquitos adoram vocalizar e chegam a ser barulhentos em certas horas do dia. Quanto à habilidade de falar, dificilmente conseguem repetir sons ou imitar a voz humana igual aos seus primos maiores, os papagaios.

Como deve ser feita sua alimentação?

A alimentação dos periquitos consiste basicamente em grãos e mistura de sementes: painço, alpiste, girassol, aveia, arroz cateto, senha e outras. Porém, é importante que sejam fornecidos complementos pelo menos três vezes por semana, como couve, almeirão, milho, maçã, banana, cenoura, pepino, giló.

Outra coisa necessária é o fornecimento de farinhadas (alimentos que complementam a dieta das aves) específicas para a espécie. É bom lembrar que qualquer alimento deve ser fornecido fresco, resíduos como cascas e restos que não foram consumidos devem ser retirados diariamente da gaiola.

Fonte: Canal do Pet

O conteúdo divulgado aqui neste espaço através de fotos, textos, vídeos e/ou opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo divulgado não expressa e não mantém nenhuma relação com a linha editorial e a visão do PortalR10.
R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
Jornal Portal R10
Últimas
Mais lidas da semana
TV R10
© Copyright 2020 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium